Notícias

Estudantes conhecem projetos da Seagri

Em mais uma semana de busca de conhecimentos, 60 alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Jarbas Gonçalves Passarinho”, do Bairro São Felix Pioneir ...

Prefeitura asfalta a Avenida Marabá

A rotina dos moradores da Avenida Marabá, no Bairro Jardim União, mudou completamente desde que as máquinas começaram a trabalhar naquela via, fazendo drena ...





  • 1

  • Brasão

  • O Hino de Marabá é o hino oficial de Marabá, município do estado do Pará, Brasil. Foi escrito por Pedro Valle e Moisés da Providência Araújo, com a música de Moisés da Providência Araújo. Foi elaborado em 5 de abril de 1963, por ocasião do Cinquentenário de Marabá.
    hino

  • A bandeira do município de Marabá é um dos três símbolos oficiais de Marabá. É composta pelo encontro de duas faixas amarelas na diagonal que formam um "y" e uma estrela no encontro das faixas, adotando a forma vexilológica de pairle, com proporções na base 7:10 e três cores (verde, amarelo e prata) . Foi instituída em 27 de Outubro de 1923 na cerimônia de entrega do título de município.
    bandeira

  • bussola

    Vindo da Região Centro-Oeste

    Rodovia Belém–Brasília até Guaraí-TO, de Guaraí até a cidade de Conceição do Araguaia-PA e de Conceição do Araguaia até Marabá – todo trecho com a estrada asfaltada. Ainda existem algumas pontes de madeira que requerem cuidados (PA–150);

    Rodovia Belém–Brasília até Araguaína-TO, de Araguaína até Xambioá-TO, passagem sobre o rio Araguaia em balsa. Do outro lado do rio Araguaia, de São Geraldo do Araguaia-PA até o entroncamento com a Rodovia Transamazônica, dobrando para Oeste e seguindo até Marabá por asfalto novo. Essa é, atualmente, a melhor opção .

    Rodovia Belém–Brasília até Imperatriz-MA, cruza o Rio Tocantins de balsa, segue até a próxima travessia de balsa sobre o rio Araguaia, na Cidade de Araguatins, cerca de 20 Km de estrada de terra e segue pela Rodovia Transamazônica (asfaltada) até Marabá.

    Rodovia Belém–Brasília, até Dom Eliseu-PA (74Km após Açailândia-MA), segue a Oeste até Marabá por trecho pavimentada, na BR 222;

    Vindo da Região Nordeste

    BR-222, entre Fortaleza e Teresina; BR-316, entre Teresina e Santa Inês, no Maranhão, (antes de Bacabal, sugere-se pegar o desvio Caxuxa-São Mateus do Maranhão-Matões do Norte-Arari-Vitória do Mearim-Bela Vista do Maranhão-Santa Inês, tendo em vista a situação precária do trecho). A partir de Santa Inês, pega a BR-222 até Açailândia, toma-se a direção Norte pela BR-010 até Dom Elizeu. Segue a BR-222, no sentido Oeste, até Marabá (PA). Essa é a melhor opção.

    A partir de Açailândia (MA), pode, também, pegar a BR-010 até Imperatriz-MA, cruza o Rio Tocantins de balsa, segue até a próxima travessia de balsa sobre o rio Araguaia, na Cidade de Araguatins, cerca de 20 Km de estrada de terra e daí pela Rodovia Transamazônica (asfaltada) até Marabá. Essa é a opção mais curta e também boa em período de estiagem.

    A partir de Belém-PA, pela PA-150 na direção de Marabá. Segue as cidades Moju, Tailândia, Goianésia, Jacundá, Nova Ipixuna e Marabá. Estrada pavimentada. Distância de aproximadamente 580 Km.

  • Maraba Foto

    Marabá é terra de sol forte, cultura rica e povo hospitaleiro. Sua fundação aconteceu em 5 de abril de 1913.

    O povoamento da bacia do Itacaiúnas tem na formação do município um papel importante, porque apesar dessa região ter sido explorada pelos portugueses ainda no século XVI, permaneceu sem ocupação definitiva durante quase 300 anos. Somente a partir de 1892 é que, de fato, o espaço foi ocupado por colonizadores.

    A denominação Marabá tem origem indígena e significa filho do prisioneiro ou estrangeiro, ou ainda o filho da índia com o branco.

    Criado em 27 de fevereiro de 1913 por reivindicação da comunidade marabaense, o município só foi instalado formalmente em 05 de abril do mesmo ano, data que passou a ser comemorada como seu aniversário e só recebeu o título de cidade em 27 de outubro de 1923, através da lei 2207.

    Em 1929, a cidade já se encontra iluminada por uma usina à lenha e em 17 de novembro de 1935 o primeiro avião pousa no aeroporto recém inaugurado na cidade. Nesse período, a cidade era composta por 450 casas e 1500 habitantes fixos.

    Com a abertura da PA-70, em 1969, Marabá é ligada à rodovia Belém-Brasília. E em 1980 a cidade é assolada pela maior enchente da sua história. Já restaurada, em 1988 dá início aos preparativos para a instalação de indústrias siderúrgicas, para produção de ferro-gusa, negócio que veio trazer grandes benefícios e expansão para o município.

    A população do município aumentou significativamente e em meados de 1998 o número de habitantes fixos alcançava 157.884. Sempre nesse processo de crescimento é que no ano seguinte, a cidade, se firmou como a sede de grandes eventos de repercussão nacional: MARALUAR, EXPOAMA, FECAM e FICAM.

    Atualmente a população marabaense está em torno de 199.946 habitantes, segundo dados do IBGE 2008, e o crescimento dessa estimativa e inevitável, já que a cidade está em processo de desenvolvimento acelerado e recebe muitas pessoas vindas de outras localidades.

    Acompanhe a cronologia – 1913 a 2009

    1892  – Lutas sangrentas em Boa Vista do Tocantins (GO) levam várias famílias a buscarem outros locais para viver. 1894 – Carlos Leitão, com um grupo de seguidores, vem para as proximidades do rio Itacaiúnas, onde pretende instalar um “Burgo Agrícola”. 1895 – O “Burgo Agrícola” é instalado (05 de agosto de 1895). 1896 – Uma expedição parte do Burgo em busca dos campos gerais (campos naturais para a criação de gado) e descobre por acaso a presença do caucho (Castilloa Ulei) na região do Tocantins-Araguaia-Itacaiúnas. Esta foi a primeira riqueza de Marabá. 1897 – Na esteira da intensa migração nordestina para a região dos cauchais, Francisco Coelho da Silva chegou, de Grajaú (MA), ao Burgo. 1898 – Em 07 de junho, Francisco Coelho da Silva deixa o Burgo e se estabelece na junção do Tocantins/Itacaiúnas, com um pequeno comércio (Casa Marabá), para negociar com extratores do caucho que subiam e desciam os rios. 1903 – A morte de Carlos Leitão, a 03 de abril de 1903, assinala o fim do Burgo. 1904 – A sub-prefeitura do “Burgo do Itacaiúnas”, é transferida para o povoado Pontal, na época com 1500 habitantes, com o nome de Marabá. É a primeira vez que esta denominação aparece em documento oficial. 1908 – Políticos locais fazem representação ao presidente do Estado do Goiás, pedindo a anexação de Marabá àquele estado. O Governo do Pará ao saber do fato expediu contingente policial ao local para garantir seus direitos, neste mesmo período, via Conceição do Araguaia, chega oriundo de Goiás a nomeação de agente fiscal de Marabá, para o tenente-coronel Norberto da Silva Mello, então ausente. O portador da nomeação, Sérgio Prado, intimado pelo Dr. Francisco de Carvalho Nobre, que comandava o contingente policial, foi obrigado a entregar-lhe a nomeação. Através da lei de nº 1.069, de 05 de novembro deste ano, foi instalada a Comarca do Araguaia, ficando Marabá um Distrito Judiciário.

     1913 – Atendendo reivindicação da comunidade marabaense o Governador do Pará, Dr. Enéas Martins, criou o município de Marabá, através da Lei nº 1.278, de 27 de fevereiro de 1913. No dia 05 de abril, foi instalado o município, sendo nomeado o Capitão Pedro Peres Fontenelle, como representante legal do Governador e serviram de secretários Ten. Raymundo Nonnato Gaspar, prefeito em comissão e Manoel Gonçalves de Castro. A Comissão administrativa composta pelo presidente Tenente-Coronel. Antônio da Rocha Maia, e os seguintes membros; Major Quirino Franco de Castro, Capitão Afro Sampaio, Cândido Raposo, Melchiades Peres Fontenelle e João Anastácio de Queiroz (como representante do Major Quirino Franco, ausente).

     1914 – Marabá torna-se Sede de Comarca (Decreto n.º 3.057, de 27.02.1914); - Em 27 de março, instalação da Sede pelo seu primeiro juiz: Dr. José Elias Monteiro Lopes; - O primeiro Intendente eleito, Cel. Antonio da Rocha Maia, toma posse em 15 de novembro. 1916 – Em 24 de junho, aporta em Marabá o primeiro barco a motor “Pedrina”, do Sr. Alfredo Monção. 1920 – Este ano marca o início da exploração da castanha em grande escala, coincidindo com a desvalorização do caucho. 1921 – Eleito Intendente João Anastácio de Queiroz. 1922 – Pela Lei 2.116, de 3 de novembro foi declarado extinto o município de Araguaia. 1923 – Através da Lei 2.207, de 27 de outubro, Marabá eleva-se à categoria de cidade; - O Decreto 3.947, de 29 de Dezembro incorpora o território do Araguaia ao município de Marabá. 1925 – Em 21 de abril funda-se a Associação Marabaense de Letras, da qual participaram: Dr. Ignácio de Souza Moitta, Dr. Francisco de Souza Ramos, Lauro Paredes, Arthur Guerra Guimarães, Antonio Bastos Morbach, Arthur de Miranda Bastos, Dr. João Pontes de Carvalho, Manuel Domingues, Antonio de Araújo Sampaio, Afro Sampaio, Maria Salomé de Carvalho, João Montano Pires, Alfredo Rodrigues de Monção e outros. 1926 – Registra-se a primeira grande cheia. A cidade é toda destruída. Durante cerca de quatro meses, o povoado de Lago Vermelho (hoje Itupiranga) asilou a maioria da população, acossada pelo flagelo, tendo servido provisoriamente de Sede da Comarca, por determinação do Juiz de Direito Dr. Souza Moittta, com aprovação do governo; - No ribeirão Cametaú, defronte ao povoado de Lago Vermelho, foi descoberto diamante, tendo sido a primeira pedra encontrada adquirida por 100$000 (Cem mil réis) pelo chefe político daquela povoação, Homero dos Santos e Souza, que a levou para Marabá e mais tarde a ofereceu ao Dr. Deodoro de Mendonça. 1927 – Marabá passa a ser o maior produtor de castanha da região do Tocantins. 1929 – A cidade recebe iluminação, através de uma usina a lenha. 1931 – É inaugurado o Mercado Municipal. 1935 – Em 17 de novembro é inaugurado o aeroporto de Marabá, com a chegada do primeiro avião, pilotado por Lysias Augusto Rodrigues. Nesse ano a cidade tinha apenas 460 casas e 1.500 habitantes fixos. 1947 – É criado o município de Itupiranga, desmembrando-se de Marabá as áreas dos distritos de Itupiranga e Jacundá. 1949 – Funda-se o Colégio Santa Terezinha, das irmãs Dominicanas. 1960 – A construção da rodovia Belém-Brasília traz novas possibilidades comerciais para Marabá. 1961 – São criados os municípios de São João do Araguaia e de Jacundá pela lei 2.460, de 29 de dezembro. Ambos foram desmembrados de Marabá. 1966 – Iniciam-se as explorações de minérios da Serra dos Carajás. 1969 – É aberta a rodovia PA-70, que liga Marabá à Belém-Brasília. 1970 – Marabá passa a ser “Área de Segurança Nacional” até 1985. 1971 – Fica pronto o 1.º trecho da Rodovia Transamazônica. O governo federal estabelece o Projeto Integrado de Colonização (PIC) do INCRA, em Marabá. 1972 – Inicia-se na região o conflito armado conhecido como Guerrilha do Araguaia, que termina em 1975. 1973 – A construção da Hidrelétrica de Tucuruí tem início, formando um lago de 2.460 km². 1980 – Marabá é atingida pela maior enchente de sua história: o Rio Tocantins sobe 17,42 metros. -É descoberto o Garimpo de Serra Pelada. 1984 – Entra em funcionamento a Estrada de Ferro Carajás. No ano seguinte inicia-se o transporte de passageiros. - É criada a Casa da Cultura de Marabá – 15/11. 1988 – São desmembrados de Marabá os municípios de Curionópolis e Parauapebas. Inicia-se a instalação de indústrias siderúrgicas em Marabá, para produção de ferro-gusa. 1990 – A Lei Orgânica do município de Marabá é promulgada a 5 de abril. 1994 – O município de Marabá ocupa uma área de 11.243 km² e tem uma população de 140.000 habitantes (Fonte IBGE). 1998 – A população de Marabá é de 157.884 habitantes (Fonte SICOM – D.S.E.M.M. Jul.98; p.3. 1999 – A partir desta data o município firma-se como sede de grandes eventos de repercussão nacional: Fecam, Ficam, Maraluar e Expoama. 2000 – A CMM a prova a nova redação da Lei Orgânica do município (LOM). - Realiza-se o III Jogos dos Povos Indígenas – 15 a 21/10 na praia do Tucunaré. - O Prefeito Geraldo M. de Castro Veloso é reeleito com 27.253 votos (45.28%). 2001 – É realizado o FECAM das Artes no período de 22 a 27/07. 2002 – Morre o Prefeito Geraldo M. de Castro Veloso – 02/02. – O Vice-Prefeito Sebastião Miranda Filho (PTB) é empossado Prefeito de Marabá – 06/02. – É inaugurada a “Aldeia da Cultura” – 07/09 2003 – Inaugurada a Orla do Tocantins – 31/12 2004 – O prefeito Tião Miranda é eleito com 37.625 votos; - CMM reduz o seu quadro de parlamentares de 17 para 12 vereadores; - Novo Fórum de Marabá é inaugurado – 05/11; - Casa da Cultura comemora 20 anos – 15/11; - O Distrito Industrial de Marabá – DIM chega a marca de 1.674.720t de ferro gusa. 2005 – Devido a impedimentos do prefeito Sebastião Miranda Filho, assume a prefeitura de Marabá o Presidente da CMM Maurino Magalhães de Lima – 07/10; - O prefeito Sebastião Miranda Filho é reempossado – 07/10. 2006 – Votada proposta de lei do Plano Diretor Participativo de Marabá – PDP – 16/09. 2007 – CMM promove 1º seminário de Desenvolvimento Sustentável do Pólo Carajás- 25 a 29/04; - Realizada em Marabá a 1ª Conferência Intermunicipal de Cultura do Pólo Carajás – 10/06; - A população de Marabá é de 195.807 habitantes – IBGE/2005. 2008 – Águia de Marabá conquista a taça Cidade Belém: 06 de abril; - Mercado restaurado dá lugar a Biblioteca Municipal “Orlando Lobo”: 20/09; - Eleições Municipais: Maurino Magalhães de Lima (PR) é eleito prefeito de Marabá com 45.963 votos, como vice Dr. Nagilson Amoury – 05/10; - Crise mundial afeta Distrito Industrial de Marabá; - Obras do PAC no valor de R$14,12 milhões são iniciadas no bairro Francisco Coelho (Cabelo Seco) incluindo 80 casas populares para melhoria da qualidade de vida dos moradores; - Fundada a Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense – ALSSP com trinta cadeiras: 28/10, composta pelos imortais: João Brasil Monteiro (Presidente), Noé Von Atzingen (Secretário-Geral), Adalgisa C. Batista, Eduardo Castro, Ademir Braz, Reunivan Tocantins e Pedro Cláudio Reis; 2012 - O prefeito João Salame Neto  é eleito com 56.392 votos, tendo como vice Luiz Carlos Pies.  

  • A cidade divide-se em cinco núcleos urbanos distintos: Marabá Pioneira ou Velha Marabá localizada as margens dos rios, Cidade Nova, onde se situa o aeroporto, Nova Marabá onde os bairros recebem o nome de folhas numeradas, São Felix I e II, situados depois da ponte sobre o rio Tocantins e Morada Nova, a 20 km de Marabá.

    Localizada no Sudeste paraense está entre o limite das cidades Itupiranga, Jacundá e Rondon do Pará ao Norte, São Geraldo do Araguaia, Curionopólis, Parauapebas e São Félix do Xingu ao Sul, Bom Jesus do Tocantins e São João do Araguaia ao Leste e Senador José Porfírio ao Oeste do estado. A distância que separa Marabá, da capital Belém é de 485 km .