quarta-feira - 19 setembro 2018

AGORA É LEI: LIVRARIAS E BANCAS TERÃO QUE EXPOR OBRAS LITERÁRIAS DE ARTISTAS DA CIDADE.

AGORA É LEI: LIVRARIAS E BANCAS TERÃO QUE EXPOR OBRAS LITERÁRIAS DE ARTISTAS DA CIDADE.

Duas importantes leis municipais vão preservar e expandir a nossa cultura

Na manhã desta segunda-feira, 13, na Biblioteca Orlando Lobo, foram apresentadas aos interessados as leis municipais 17.797 e 17.801, ambas de 30/10/2017, respectivamente instituindo ao Bangu Esporte Clube Beneficente o título de “Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Marabá”, assim como dispondo sobre a obrigatoriedade da exposição de obras culturais de autores de Marabá, de qualquer área de conhecimento, nas bancas e livrarias do município.

Segundo José Scherer, secretário municipal de Cultura, a Prefeitura está avançando na legalização de setores da cultura de Marabá que, apesar de existirem, não tem o destaque que merecem, citando como exemplo, além do esporte e das artes, a próprio prédio que abriga aquela Biblioteca, que é um notório patrimônio público, mas sem documentação.

O presidente da Associação dos Escritores de Marabá, Adalberto da Silva, observou que já recebe apoio da Secult, citando recente evento em Imperatriz/MA. E que junto com aquela secretaria irá desenvolver uma agenda de visitas as bancas e livrarias para viabilizar a exposição de obras de autores locais.

Time do Bangu de Marabá agora é Patrimônio Imaterial da cidade.

 

Genival Crescêncio de Souza, coordenador Cultural, lembrou que a intenção do merecido título ao Bangu, por ser o clube de futebol mais antigo de Marabá (77 anos), vem de 2013, quando do aniversário do município.

Quanto à literatura, o movimento mais forte da cidade, Crescêncio observou que Marabá dispõe de inúmeros autores, que são afiliados a três academias de letras, mas que as obras são apresentadas e vendidas pelos próprios escritores, por isso se faz necessário à divulgação em livrarias e bancas espalhadas pela cidade.

Por sua vez, o vice-presidente do Bangu, Jean Maré Cardoso, falou que a partir desse título o clube vai elaborar projetos com vista ao seu fortalecimento, visto que o Bangu existe desde 1940, participando hoje da primeira divisão, com futebol masculino, feminino e de veteranos.

Já Genilson Lopes, ex-presidente do Bangu, espera que Marabá ganhe em breve mais um representante no futebol paraense e possivelmente nacional, que junto com o Águia possa disputar outros campeonatos, visto que o município tem potencial para isso.

ACESSIBILIDADE
X