BLOCOS: MELHOR IDADE LEVA A ALEGRIA PARA AS RUAS DA MARABA PIONEIRA

BLOCOS: MELHOR IDADE LEVA A ALEGRIA PARA AS RUAS DA MARABA PIONEIRA

 

O ditado popular “Idade e experiência, valem mais que a adolescência”, caiu bem para os cerca de 150 idosos provenientes dos quatro CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), que compuseram o Bloco “Alegria não tem idade”, da Seasp (Secretaria de Assistência Social da Prefeitura). Eles se concentraram na tarde de ontem, 11, domingo, na Praça Duque de Caxias, Marabá Pioneira, e percorreram -nesta primeira edição do aglomerado-, ruas do núcleo com muita disposição e empolgação. 

No mesmo ritmo de animação dos idosos, o assistente social e coordenador do bloco, Reginaldo Carvalho, afirmou que na ocasião carnavalesca os idosos não necessitam ficar em casa, pois se trata de um momento de alegria e festa. Ele explica que o nome “Alegria não tem idade” remete a participação de idosos na folia. Reginaldo Carvalho calculou que, em média 150 idosos animaram a folia, que variam de 60 a 90 anos, vindo dos quatro CRAS do município. Eles estavam vestidos de fantasia, para cada CRAS um casal se caracterizou, os demais vestiram abadá do bloco.

Acostumados com programações agitadas, os idosos já fazem parte do grupo de convivência. “Esse bloco não poderia acontecer sem apoio do nosso prefeito [Tião Miranda], secretária de assistência social NadjlaLúcia Oliveira e toda organização”, agradeceu ele, pontuando que, o bloco foi bem recebido pela sociedade marabaense. Por fim, Reginaldo Carvalho explica que o objetivo do bloco sair às ruas se trata de um clamor aos familiares para tratar o idoso com respeito e dignidade, além de toda atenção que merece.

Representando o CRAS do Bairro Bela Vista, com fantasia de palhaço, o folião José Roberto Santos de 70 anos disse que “não há coisa melhor que ter a oportunidade de participar de um bloco de carnaval”. “A iniciativa da prefeitura é muito boa, se continuar assim não tem erro”, expressou o idoso.  Compartilhando da mesma ideia que José Roberto, a aposentada, Hilza de Souza Santos, 64 anos, também aprovou o bloco. “Estamos gostando muito do Tião [Miranda]. Ele está fazendo coisas boas. Tudo está melhorando, não temos mais aquele lixão”, frisou ela se referindo à limpeza que antes deixava a desejar na folia. Outra foliã, Rosely Feitoza, de 79 anos, se sentiu bem em participar do “Alegria não tem idade”. “Não desfrutei da minha mocidade, agora que sei o que é ser feliz. Esse prefeito está nos ajudando”, explicitou Rosely.

O idoso Gyddap Joé, de 59 anos, conhecido como Palhaço Bartolo, do CRAS do Amapá, disse que veste a “farda do governo [sic], pois estou multicolorido, reluzente, somos idosos e praticamos esporte, usamos a internet e temos boa alimentação”. Para Gyddap, só perde o idoso que não procura um centro desse para curtir. O bloco “Idade não tem idade” finalizou o percurso em grande estilo na Toca do Manduquinha, onde há uma grande estrutura montada com palco, para garantir a animação do folião marabaense.

Texto: Emilly Coelho