EDUCAÇÃO: ALUNO VAI REPRESENTAR MARABÁ EM BRASÍLIA COM PROJETO SOBRE DESPERDÍCIO DE ÁGUA EM ESCOLA

EDUCAÇÃO: ALUNO VAI REPRESENTAR MARABÁ EM BRASÍLIA COM PROJETO SOBRE DESPERDÍCIO DE ÁGUA EM ESCOLA

Ronaldo Simões, de 14 anos, da Escola Heloisa Castro, venceu etapas municipal e estadual e será delegado Marabaense no evento nacional

No dia 14 de junho próximo, Ronaldo Brito Simões Filho, de 14 anos de idade, vai viajar para Brasília, levando na bagagem um projeto simples, mas representativo para participar da V Conferência Nacional Infantojuvenil do Meio Ambiente. O delegado estadual vai mostrar para pessoas de todo o País como ações educativas básicas estão contribuindo para mudança de comportamento que envolve colegas de sua escola (Heloísa Souza Castro) e ainda sua família.

Para chegar a Brasília, o projeto de Ronaldo venceu uma etapa municipal durante a Conferência Infantojuvenil do Meio Ambiente no início deste ano letivo, depois foi a Belém, em março, onde foi selecionado para representar o Pará no evento nacional.

A coordenadora pedagógica da Escola Heloisa Souza Castro, Edilene Dias Fernandes, vibra com o alcance do projeto e diz que a participação daquela instituição foi estimulada por uma formação ofertada pela SEMED (Secretaria Municipal de Educação) em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Cosanpa, tendo como base o fato de 2018 ser o ano mundial da água.

“Junto com o professor José Anasion Moreira, de Ciências, participei daquela formação e decidimos desenvolver um projeto em nossa escola, onde contamos com o envolvimento do professor de Geografia, Antônio Batista. Deu certo, porque aliamos essa temática à 5ª Conferência Infantojuvenil e inserimos duas turmas”, relembra.

Os educadores elaboraram junto com os alunos o projeto “Água Viva para a Vida”, com o objetivo de mostrar para a comunidade escolar a grande importância da água, que embora ainda seja abundante na Amazônia, corre o risco de acabar um dia. “Este projeto está contribuindo com a formação de jovens cidadãos conscientes, aptos a tomarem decisões e atuarem diante da realidade em que o planeta terra e a nossa região vem enfrentando com a poluição e escassez da água, provocada pelo comportamento humano”, diz a coordenadora.

ÁGUA DO BEBEDOURO

Na primeira etapa do projeto, professores e Ronaldo voltaram a atenção para o bebedouro da escola, onde há três torneiras com água gelada e alguns copos. Ali, os cerca de 900 alunos revezam o uso desses copos plásticos e aqueles que não queriam fazer uso do mesmo utensílio, usavam as mãos como concha e bebiam, derramando muita água.

A partir dessa observação, Ronaldo começou uma campanha nas salas de aula para que todos os alunos trouxessem de casa seu próprio copo, o que garantia a não transmissão de várias doenças. Além disso, o desperdício de água no bebedouro caiu bastante. “Ao compartilhar um copo, é possível pegar herpes, hepatite A, amigdalite e também viroses respiratórias”, observa Edilene Fernandes.

SOU JOVEM MULTIPLICADOR

Ronaldo Simões, apesar da pouca idade, sabe que tem responsabilidade de sensibilizar outros colegas da escola a evitar o desperdício da água. Revela que precisou, primeiro, mudar o próprio comportamento, e isso refletiu também em sua casa, onde sua família passou a gastar menos água no chuveiro e na pia. Ele revela que na escola, os alunos das séries iniciais assimilam as informações mais facilmente e mudaram de comportamento, levando os próprios copos para a escola e usando quando necessário no bebedouro. “Parece uma coisa simples, mas a gente deixa de desperdiçar água potável e tratada. Eu e outros colegas somos jovens multiplicadores dessa mudança de atitude”, comemora.

Na continuação do projeto, professores e alunos estão mobilizados para construir uma horta hidropônica na escola para contribuir com a merenda escolar e compartilhar com os estudantes um conceito simples de sustentabilidade.

Paralelamente, outros projetos importantes estão sendo desenvolvidos na Heloisa de Souza Castro, como “Judiciário na Escola” e “Xadrez Inclusivo”, por exemplo.

Texto e foto: Ulisses Pompeu