quarta-feira - 19 setembro 2018

MATERNO INFANTIL IMPLANTA POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO

MATERNO INFANTIL IMPLANTA POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO

Durante a tarde desta terça-feira, dia 10, servidores do Hospital Materno Infantil-HMI, estiveram reunidos numa mesa redonda, conhecendo e debatendo sobre a Política Nacional de Humanização-PNH e suas diretrizes (acolhimento; gestão participativa e co-gestão;  ambiência; clínica ampliada e compartilhada; valorização do trabalhador; e defesa dos direitos dos usuários).

O objetivo é aprimorar o atendimento dos profissionais que trabalham na acolhida das usuárias do Hospital Materno Infantil. Dentre os palestrantes estava Wagner Dias Caldeira, coordenador regional de Saúde Mental e apoiador da PNH pelo Ministério da Saúde.

A PNH é implantada na maternidade, ao mesmo tempo em que, o “Projeto Acolhimento”, está sendo desenvolvido pelo Serviço de Psicologia do hospital em parceria com estudantes da primeira turma de Psicologia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. O projeto tem como slogan, dar acolhida, dar ouvidos, agasalhar, receber, atender e admitir.

A psicóloga Eliédna Lourenço, explica que durante meses, os universitários estiveram observando a maternidade e juntos, avaliaram que a humanização no HMI, deveria começar pelo o acolhimento, que passa por setores como a portaria, recepção, triagem, técnicos de enfermagem e farmacêuticos, ou seja, aqueles que fazem os primeiros contatos com o público. Além da mesa redonda, a partir desta quarta-feira, dia 11, haverá oficinas para os funcionários do acolhimento nos três turnos do dia, onde serão trabalhadas questões como, ética e comunicação.

Mas de acordo com a também psicóloga do HMI, Miracilda Modesto, o projeto só poderá dar certo com a contribuição de todos os outros setores. “A política não é só da Psicologia não, mas o que o Serviço Social pode fazer? O que a Fisioterapia, a Nutrição podem fazer? Foi feita uma roda de conversa, pra que não achem que é só a Psicologia que deve estar à frente… é um trabalho de formiguinha” ressaltou Miracilda.

Ainda segundo as profissionais, em anos anteriores, já houve tentativas de implantação da PNH na maternidade, mas o grupo precisou de mais amadurecimento. Agora elas comemoram a adesão da atual direção da casa de saúde. Alcileia Tartaglia, diretora administrativa do HMI, disse que abraçou a causa porque acredita que é de suma importância a humanização na hora de receber uma paciente.

“Todos os dias nós lidamos com seres humanos, ninguém vem ao hospital porque quer, mas todos precisam de apoio, então estamos aqui abraçando esta causa, pra gente tentar humanizar nossa equipe e atender melhor as pacientes, melhorar as relações interpessoais e comunicação entre os próprios servidores, enfatiza a diretora.

Além disso, Alcileia destaca que muitas outras ações já foram desenvolvidas na maternidade pensando na humanização. “Desde que assumimos em janeiro, já fizemos muitas coisas, temos a equipe de educação continuada, fazendo palestras, rodas de conversa com os profissionais, no intuito de humanizar”, afirma ela.

Da mesma forma, a casa de saúde foi revitalizada com reforma na área reservada aos pacientes, bem como, nas salas dos servidores que receberam mobília nova. È que a política de humanização zela pelo bem estar dos servidores.

Vale ressaltar ainda, que a direção do HMI vem tentando implantar o parto humanizado. O centro obstétrico já conta com uma fisioterapeuta, que acompanha as parturientes e utiliza de várias técnicas para ajudar num parto adequado.

 

 

 

 

 

 

ACESSIBILIDADE
X