quarta-feira - 14 novembro 2018

OUTUBRO ROSA: PROJETO SOCIAL DA GROTA CRIMINOSA LEVA SERVIÇOS À COMUNIDADE

OUTUBRO ROSA: PROJETO SOCIAL DA GROTA CRIMINOSA LEVA SERVIÇOS À COMUNIDADE

A Secretaria Municipal de Assistência, Proteção e Assuntos comunitários (Seaspac), a Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) e a empresa SAUAC consultoria realizaram nesta terça-feira (30), uma ação de saúde no estacionamento em frente ao centro de saúde Enfermeira Zezinha, na folha 23. Houve palestras sobre os cuidados com o câncer da mama, testes rápidos de HIV, Hepatite e Sífilis, além de distribuição de preservativos, sorteios de brindes e ginástica para mulheres.

Luana Bastos, técnica social da Seaspac, explica que o evento faz parte do projeto social da Grota Criminosa. “Uma das atividades do projeto é esse, o atendimento a comunidade e como estamos finalizando o “outubro Rosa” viemos trazendo os serviços tendo o CTA e o posto de saúde como parceiros. O evento é aberto a toda a comunidade em especial as folhas 23 e 26”, enfatizou Luana.

Diana Oliveira, assistente social da SAUAC consultoria, disse que é importante a intervenção do projeto nessas áreas, como palestras, seminários e cursos. Neste mês o projeto aproveitou a campanha para fortalecer a prevenção contra o câncer.  “Nós normalmente mobilizamos o público porta a porta, mas desta vez abrimos para a toda a comunidade”, ressaltou Diana.

Dona Mara Cristina, foi convidada por uma vizinha a participar do evento e não perdeu a oportunidade. “Acho importante principalmente pra quem já teve problemas de saúde”, frisa a dona de casa que já passou por tratamento de saúde.

A Maria Silva participa da ginástica de mulheres na folha 16 e também aproveitou a ação cuidar da saúde. “Eu vim devido ao Outubro Rosa. Eu vou fazer todos os exames que tiver ao meu alcance porque temos de nos cuidar e ficarmos bem informadas” salientou a mulher.

Deuzelia Silva já conhece o projeto. Por meio dele ela fez um curso de liderança e foi assim que ficou sabendo da ação desta terça-feira. “É muito importante, mesmo com medo vou fazer os exames”, disse ela.

Seu José de Ribamar tem 58 anos, passou pelo local e buscou atendimento. Era um dos poucos homens no local, mas não deixou a oportunidade passar. “Eu vim fazer o exame de HIV, eu sempre faço. A gente ter uma segurança né”, finalizou o morador.

Deixar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ACESSIBILIDADE
X