SAÚDE: ORIENTAÇÃO E CUIDADO COM A SAÚDE DE CASA EM CASA

SAÚDE: ORIENTAÇÃO E CUIDADO COM A SAÚDE DE CASA EM CASA

O Agente comunitário de saúde é um profissional essencial na rede de saúde pública. Ele conhece, em detalhes, o quadro de saúde de cada membro da família do bairro que atua, leva orientação, informação, avalia o peso da criança, afere a pressão, entre tantas outras coisas que ao final acaba se tornando um amigo da família.

Karla do Nascimento Sousa, decidiu ser a Agente Comunitária de Saúde (ACS) há 10 anos, e ela conta como é essa relação de amizade com a família que acompanha na rua Magalhaes Barata, no núcleo da Velha Marabá. “Nesse meu trabalho a gente acaba se comovendo, a gente acostuma com aquela família, e tem caso que ficamos tristes, a gente se apega tanto com a família. Teve um idoso que eu acompanhava e quando fui visitá-lo, ele havia falecido. Comecei a chorar”, conta Karla, emocionada.

Nestes últimos 10 anos, Karla já ficou bastante conhecida no bairro onde mora e as pessoas sempre a abordam na rua perguntando o dia que ela passaria para visitar a família. “Eu acompanho os diabéticos e os hipertensos sempre levando orientação. Quando é mais grave, orientamos para ir ao posto”. É essa preocupação com seus pacientes é que faz de Karla ser uma pessoa querida nas famílias que acompanha.

Hélia dos Anjos, amiga de Karla, decidiu ser ACS há 15 anos, para ela ser uma agente é algo satisfatório. “Eu faço visitas todos os dias e a comunidade já conhece o trabalho da gente, é um trabalho que me satisfaz e acho importante porque sei como está a saúde de cada pessoa através das visitas”, relata.

Faça chuva ou faça sol, eles estão sempre lá, de casa em casa, de família em família, da criança ao idoso, todos são acompanhados e orientados pelo ACS. Como é o caso do seu Ademar Ferreira Guedes, do bairro Francisco Coelho. “Todo mês o agente faz a visita e verifica a pressão, tanto minha quanto da minha mulher, além de dar muita orientação pra gente e isso é muito bom”, pontua Ademar.

A dona de casa Janaína das Neves, também agradece muito o trabalho dos agentes. “É muito importante porque as vezes não tenho tempo pra ir ao posto e ela vem, marca a consulta, faz testes de saúde, e aqui as crianças são acompanhadas pela agente de saúde”, conclui dona Janaína.


A enfermeira Priscila Lima coordena as equipes na Unidade Básica de Saúde (UBS) Dr. Demosthenes Azevedo no bairro Francisco Coelho. De acordo com ela, o trabalho do ACS  é muito importante porque na grande maioria o agente mora no próprio bairro e conhece quais são as necessidades das pessoas e de tanto visitar os pacientes ele já sabe quando o quadro de saúde da pessoa não está normal, já marca a consulta e isso aproxima a UBS da comunidade. “O ACS é o posto de saúde na rua é uma extensão do posto até a casa das pessoas e os casos mais graves podemos até levar o médico na casa que o ACS apontar que ali existe um paciente com um caso mais complexo”.

O programa de saúde da família foi criando em 1994 e hoje conta com 40 equipes de saúde da família. O programa é composto por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e o ACS. O agente é responsável pelo cadastramento das famílias, mapeamento da área e das visitas são feitas regularmente nos domicílios e nessas visitas nós contemplamos a situação das famílias promovendo a saúde e diminuindo os agravos dentro das condições apresentadas.

De acordo com o enfermeiro Otávio Augusto de Paiva Ribeiro, coordenador municipal de saúde da família “o ACS é a roda que gira todo sistema de saúde pois é ele que vai até a casa do usuário e é ele que leva informação e promove essa informação dentro da comunidade, ele é como um mensageiro da saúde”, finaliza.

ACESSIBILIDADE
X