SMS promove Capacitação no combate à malária em Marabá

SMS promove Capacitação no combate à malária em Marabá

A Prefeitura Municipal, através da secretaria Municipal de Saúde (SMS), organizou nesta segunda-feira (9), curso de capacitação sobre malária para servidores da área da saúde. Agentes comunitários, enfermeiros, agentes de endemias e microscopistas participaram do evento, que apresentou três ciclos de palestras para discussão da doença desde o seu contágio até o tratamento.

“Marabá agora tem a responsabilidade de acolher e tratar das pessoas com malária, visto que os atuais servidores da Funasa – antiga Sucam – estão se aposentando por tempo de serviço e o município será encarregado desse serviço”, explicou Maurícia Macedo, uma das palestrantes. Segundo ela, há uma preocupação em preparar os agentes do município também pelo fato de Marabá ser uma cidade-polo, que atende doentes de toda a região. Maurícia apresentou a primeira palestra, tratando o tema da malária e expondo dados epidemiológicos do município.

Valtemir Tavares apresentou como tema da segunda palestra métodos de tratamento da doença, abordando desde a dosagem dos remédios até o acompanhamento do paciente. Na terceira palestra, Tito Oliveira abordou a questão do exame em si, dando destaque maior à função dos microscopistas.

Valter Tavares e Tito Oliveira tem ampla experiência no combate à malaria, visto que ambos são agentes do Ministério da Saúde, lotados na Funasa.

“Necessitamos, através de parcerias, ampliar o atendimento e o acolhimento a pessoas de Marabá e região. Contamos com o apoio da Prefeitura e estamos dispostos a firmar parcerias para realizar esse trabalho”, disse a enfermeira Crissiana Dias, diretora da Vigilância em Saúde, responsável pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica. Ainda segundo ela, Marabá possui 20 unidades básicas de saúde, sendo 12 na área urbana e 8 na área rural. Desse total, 8 unidades na zona urbana são referência no acolhimento e tratamento de contaminados pela malária.

A malária é transmitida pela picada do mosquito Anofelino fêmea, também conhecido como carapanã ou muriçoca. A pessoa infectada apresenta como sintomas febre, calafrios, dor de cabeça e muito suor. Quem apresenta esses sintomas deve procurar o serviço de saúde e fazer o exame o mais rápido possível. A medicação é gratuita e é necessário seguir integralmente o tratamento prescrito pelo médico.

Não existe vacina contra a malária, assim, prevenir é o melhor remédio. Evite ficar ao relento, andar na mata, pescar ou tomar banho de rio ao anoitecer e ao amanhecer. Nesses períodos o mosquito transmissor costuma alimentar-se. Evite construir ou permanecer em habitações próximas a águas paradas. Caso more nesses locais, use sempre repelente e telas nas portas e janelas.

ACESSIBILIDADE
ACESSIBILIDADE