Covid-19: Marabá inicia vacinação contra o Coronavírus

(19 de janeiro de 2021)

Na primeira fase serão vacinados os profissionais de saúde na linha de frente do combate ao novo Coronavírus e os idosos que vivem nas instituições de longa permanência do município

Foi iniciada nesta terça-feira (19), no Hospital Municipal de Marabá (HMM) a vacinação contra Covid-19 no município. A agente de serviços gerais, Rosinalva Nunes de Castro, 50 anos, recebeu a primeira das 1.609 doses de vacina disponibilizadas pela Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa) para 1º fase de vacinação em Marabá.

Rosinalva Nudes ressaltou a importância do momento “Fiquei muito alegre quando me falaram que seria a primeira, que privilégio”. Ela atua no município há 25 anos, sendo os últimos sete dentro do HMM.

Mãe de três filhos, ela faz um apelo para a população se cuidar e se vacinar. “Fiquem tranquilos que a vacina vai chegar para todos. Vamos vacinar sim, parem com esse negócio de fake, de que vai virar isso, de virar aquilo. Ouçam os profissionais. É saudável. Chegou a vacina, vamos vacinar sim!”, reitera.

Quem irá se vacinar agora?

Nesse primeiro momento serão vacinados os profissionais de saúde na linha de frente do combate ao novo Coronavírus e os idosos que vivem nas instituições de longa permanência do município. “Foi feito todo um planejamento para a vacinação, o hospital já fez a seleção. O foco será nos profissionais que atuam diretamente ligados à Covid”, ressalta o Secretário de Saúde do Município, Valmir da Silva Moura.

Segundo o assessor de Vigilância em Saúde da Sespa, Marcos Moura, a quantidade de vacinas estimada pelo Ministério da Saúde para serem entregues ao estado do Pará era de 340 mil, tendo sido reduzido para 173.240 doses, o que restringiu a quantidade de vacinas que foi disponibilizada aos municípios.

Secretário de Saúde Valmir Moura

A Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS), através do Departamento de Atenção Básica (DAB), Departamento de Alta e Média Complexidade e Vigilância em Saúde determinou a relação dos profissionais que estão dentro das UTI’S e trabalhando diretamente com o diagnóstico dos pacientes da Covid, para receberem essa primeira leva de vacina.

“É importante para todo país e para Marabá que esse trabalho comece a ser realizado. É uma gota de esperança que começou a fluir. A proporção de vacinas ainda é muito pequena, por isso temos que executar um trabalho criterioso. Mas estamos trabalhando e na iminência e espera de chegar um novo lote para levar essa vacina à população e aos demais profissionais”, acrescenta Valmir Moura.

A coordenadora do DAB, Monica Borchat, ressalta que a vacinação buscará atender não só os profissionais da rede pública, como da rede privada de saúde. Nesse primeiro momento a expectativa é que se vacine em torno de 40% dos profissionais de saúde. “A vacina será distribuída para toda rede pública e privada, abarcando o HMM, atenção básica, e hospitais de uma forma geral. Só selecionamos quem realmente está na linha de frente. Os demais recebem nas próximas etapas”, frisa.

Nota técnica

A vacina que está sendo aplicada em Marabá é a Coronavac, da empresa chinesa Sinovac, em parceria com o Instintuto Butantan. A vacinação é aplicada segundo nota técnica da Sespa. Por ser uma central regional, o município de Marabá recebeu 9.299 de vacinas, mas as outras 7.690 serão distribuídas para os demais municípios da região através da Central da Sespa localizada na cidade.

Segundo recomendação, a 2º fase da campanha abarcará os profissionais de segurança pública na ativa, idosos de 60 a 79 anos de idade, idosos a partir dos 80 anos e povos quilombolas. Na 3º fase serão priorizados indivíduos que possuam comorbidades, como diabetes, hipertensão e obesidade.

A 4º fase será para profissionais da educação, Forças Armadas, funcionários do sistema penitenciário, população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa. Ainda não há previsão de distribuição das vacinas para as demais fases da campanha.

Enfermeira Cinthia foi quem aplicou a primeira dose da vacina

A enfermeira Cinthia Mendes, da Coordenação de Imunização da SMS, foi a responsável por aplicar a primeira dose da vacina. Ela reforça que a imunização depende de uma segunda dose de vacina que deve ser aplicada 28 dias após a primeira. “A parte técnica ainda não autoriza a vacina para menos de 18 anos, gestantes ou puérperas, pois ainda não há estudos sobre esse público”.

Ela ressalta que apesar do procedimento ser “a mesma coisa das outras vacinas”, aplicar a primeira dose da vacina foi motivo de emoção. “Primeiro passo que estamos dando rumo a proteção da nossa população contra esse vírus terrível. Pretendemos vacinar o máximo da população, claro que paulatinamente em virtude da quantidade. Mas estamos felizes de  iniciar a campanha”, concluiu.

Veja mais fotos:

 

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Aline Nascimento