Agricultura: Feirinha da Avenida 7 de junho gera renda para mais de 70 famílias da zona rural

O espaço é montado no início da noite de toda sexta-feira e encerra no sábado a tarde

Frutas, hortaliças, verduras, cereais e muito outros alimentos que a agricultura pode ofertar são encontrados na feirinha da Avenida 7 de junho, na Marabá Pioneira. No espaço que funciona há 13 anos, também são comercializados peixes e frangos caipira, além de ervas, inclusive medicinais.

É nesse ambiente que dona Maria de Jesus, de 67 anos, tem conseguido ajudar o marido na comercialização da produção agrícola e no sustento da família. A moradora do Projeto de Assentamento (PA) Escalda Alta é uma das feirantes mais antigas dali e valoriza o espaço onde expõe a produção da roça. O principal produto são as polpas de frutas.

“Plantei com meu marido açaí, cajá, cupu, jaca, laranja, pupunha e diversas coisas. A safra não estraga mais. Antes estragava muito, mas com a feira foi maravilhoso. Eu perdia muito, mas hoje não. E eu posso vender mais barato,” enfatiza a agricultora.

Na Avenida 7 de junho atualmente trabalham 70 feirantes cadastrados na Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri) e reconhecidos pelo Sindicato. O espaço é montado no início da noite de toda sexta-feira e encerra no sábado à tarde. Dona Lucinéia Ferreira mora na Vila Sororó e trabalha há três anos na feira. O principal produto vendido por ela são verduras e o tucupi.

“Para nós é muito bom, porque a gente vende nossos produtos. Lá na vila a renda não é tão boa. Ainda faltam alguns ajustes para ficar melhor, mas a gente vai levando”, afirma Lucinéia.

A Rosângela Mota capricha na arrumação da barraca e chama atenção de quem passa por lá. O verde das hortaliças contrasta com o colorido dos legumes e das verduras e esse tem sido um atrativo. A produção vem do PA Burgo, onde mora com a família. “Aqui é muito bom, a gente se diverte e é nosso ganha pão”, ressalta a horticultora.

Já para quem compra, o difícil é escolher entre tantas opções de alimentos saudáveis. Dionísio Santos frequenta a feira há 13 anos e já virou cliente fiel. Ele diz que espera o fim de semana para comprar os alimentos naturais para o consumo semanal.

“Eu gosto de comprar hortaliças e frutas. Espero esse momento porque a produção deles quase não tem agrotóxico, é natural. Todo sábado eu estou aqui fazendo minhas comprinhas para passar a semana”, destaca o servidor público estadual.

De acordo com a Seagri nas próximas semanas os feirantes devem receber 70 barracas padronizadas pela prefeitura.

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Paulo Sérgio 

ACESSIBILIDADE
X