Agricultura: Seagri já doou mais de 64 mil mudas este ano

A doação de mudas de frutíferas e de essências florestais realizada pelo Viveiro da Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri) teve o ciclo interrompido em abril, diante da pandemia do novo coronavírus. No entanto, mais de 64 mil plantas foram doadas no primeiro quadrimestre de 2020, lembrando que, a partir de agora, a distribuição de mudas só acontece para aqueles produtores rurais que possuem sistema de irrigação.

Segundo a Lorena Leal Cruz, engenheira florestal responsável pelo Viveiro, dentre as espécies mais procuradas estão o açaí precoce, o BRS Pará, desenvolvido pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária); açaí comum, cacau e cupuaçu. A estimativa de produção anual do viveiro, que era de aproximadamente de 800 mil mudas/ano, está no momento com 1.051.990 de mudas de espécies nativas florestais e frutíferas, sendo cerca de um milhão só de açaí.

Do total estimado em 64.350 mudas, o mês de janeiro teve maior peso, com 235 solicitações e 35.250 de mudas doadas; fevereiro: 119 solicitações com 17.850 de mudas doadas; em março, atendidas 68 solicitações com um total de 10.200; e abril, apenas sete atendimentos com doação de 1.050 mudas. O mês de janeiro se destaca em razão do aumento das chuvas, o que facilita o plantio e a diminuição de mortalidade de plantas em campo.

Incluso nesse total estão 78 de famílias atendidas de Projetos de Assentamento (PA), que receberam 39.195 mudas de frutíferas e florestais com o intuito de produzir SAF’s (Sistemas Agroflorestais), distribuídas de acordo com os PA’s citados a seguir:

PA Maravilha Cabanagem (12.900 mudas), PA Bandeirantes (3.800 mudas), PA Três Ilhas (3.646 mudas), PA Volta Grande (2.700 mudas), Volta do Tapirapé (2.419 mudas), PA Liberdade (1.280 mudas), PA Cupú (9.150 mudas), além do repasse de 3.300 mudas ao ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)para entrega direta a outros produtores familiares.

O Viveiro da Seagri tem parceria com diversos órgãos e instituições de fomento à agricultura familiar, entre eles destacam-se ICMBIO, Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca,  Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), Embrapa, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e Fundação Casa da Cultura de Marabá.

Também existem parcerias com associações de projetos de assentamentos e produtores rurais, muitos dos quais colaboram com doação de sementes, para produzir de mudas.

Veja outras fotos: 

 

Texto: João Batista
Fotos: Divulgação Seagri 

Acessibilidade