Agricultura: Seagri orienta sobre cuidados com a retirada de abelhas

Tem sido cada vez mais comum o aparecimento de caixas de abelhas em áreas urbanas de Marabá, seja em postes, árvores em quintais, e até mesmo dentro das residências. Acidentes como estes insetos já foram registrados em animais e até em pessoas com grande gravidade, sendo preciso estar atento quanto ao aparecimento de abelhas.

De acordo com Milton França, técnico em agropecuária da Secretaria de Agricultura (Seagri), um dos fatores que explica esse aumento é o desmatamento na zona rural, que faz com que os enxames de abelhas migrem para área urbana em busca de locais mais frescos para construírem suas colmeias e alimentos como as floradas das árvores, por isso é comum o aumento de incidentes com abelhas nesta época do ano.

“Esse processo migratório é antigo e esse fluxo é devido ao desmatamento. Aqui próximo a Marabá temos muitas pastagens e não existe florada o ano todo e elas migram para a cidade devido aos doces, as floradas e abrigos que não encontram mais na zona rural e encontram aqui, tipo telhados, postes entre outros”, explica o técnico em agropecuária.

As reclamações com o surgimento de abelhas cresceram nos últimos anos. A Seagri alerta sobre os cuidados e os perigos de uma pessoa não habilitada tentar retirar a caixa de abelhas. “Nós recebemos várias reclamações de abelhas em postes, residências, quintais e é preciso fazer essas capturas de modo seguro que não cause problemas para a população. Se fizer sem orientação corre o sério risco de ser picado pelas abelhas. Uma picada em criança pode matar e em adultos também pode ser fatal. A pessoa picada tem que procurar urgentemente um Pronto Socorro”, explica Milton França.

Ao identificar uma caixa de abelha a pessoa deve imediatamente acionar os órgãos competentes com profissionais habilitados para a retirada da caixa de abelha, como o Corpo de Bombeiros, Centro de Controle de Zoonoses, Seagri, Secretaria de Meio Ambiente e até mesmo o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPa Rural), pois existem pessoas capacitadas para a realização do trabalho.

Segundo o secretário adjunto da Seagri, Marcos Paulo Eleres, as abelhas ao serem capturadas na zona urbana são levadas para algumas propriedades rurais, em especial as que têm produção de plantas frutíferas. Essa destinação visa o melhoramento da produção por meio do trabalho de polinização feito pelas abelhas.

As abelhas são responsáveis por 75% da produção agrícola, ou seja, a maioria da produção depende das abelhas e o Ibama pode autuar a pessoa que pode ser até presa se matar as abelhas, alerta Milton França, ressaltando que o município tem que puxar essa discussão para elaborar uma lei de proteção, apontando os órgãos responsáveis pela retirada das caixas de abelhas bem como o uso dos EPIs – Equipamento de Proteção Individual.

Texto: Victor Haôr
Fotos: Divulgação 

Veja as fotos

Acessibilidade