Assistência Social: Programa Criança Feliz, em Marabá, é referência no Estado do Pará

(19 de novembro de 2020)

O município de Marabá está concorrendo a duas premiações nacionais pelas práticas nas visitas domiciliares durante a pandemia e também nas Formações Continuadas do Programa Criança Feliz (PCF). O programa federal implantado pela Prefeitura Municipal, em 2017, já atendeu mais de 1.000 mil famílias durante o funcionamento. Ele é gerido no município pela Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac).

Luis Silva de Sousa, coordenador municipal do PCF, explica que o programa funciona através de visitas domiciliares. Uma visitadora se dirige até a casa da família, onde trabalha atividades sociopedagógicas com as crianças. São trabalhados quatro eixos: comunicação, motor, cognitivo e socioafetivo.

“Todas nossas atividades são pautadas em cima dessas habilidades. Além dessas atividades que a gente trabalha com essas crianças, tem o acompanhamento também, que é a integração da criança com a rede. Fazer com que as politicas públicas sejam garantidas na primeira infância para a família, que é o contexto onde a criança está”, enfatiza o coordenador.

Durante a pandemia, o programa teve de se readequado com acompanhamento de forma on-line e a própria família ficou responsável pela execução das atividades com a criança. Elas tinham de enviar vídeos e fotos das atividades por solicitação das equipes. Com o retorno das atividades presenciais, agora apenas 36 visitas continuam de forma remota para famílias que não tinham acesso à telefone e internet, bem como, aquelas com membros classificados em grupos de risco.

A musicalidade como metodologia utilizada por uma das visitadoras foi a prática que incentivou a equipe do PCF a inscrever o município para concorrer a premiação Parentalidade, da Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal. “Ela trouxe essa prática e teve uma aceitação muito rápida. Tivemos experiências muito boas, onde as crianças interagiram. Fora, as metodologias que ela utilizou e daí então, nós começamos a fazer vários relatos”, ressalta o coordenador.

A outra premiação concorrida por Marabá é da Secretaria Nacional da Primeira Infância, tem a ver com a formação continuada desenvolvida mensalmente com os dezesseis visitadores do programa. Segundo Luís, foi a Coordenação estadual do Programa Criança Feliz que indicou o município como referência.

O coordenador conta ainda que no plano de formação da equipe são escolhidos temas específicos baseados nos eixos do desenvolvimento infantil a serem abordados por profissionais da área. Aos visitadores são ofertados saberes e conhecimentos para o trabalho com as famílias. Para isso, fazem parte da equipe também, pedagogo, assistente social e técnico em enfermagem.

“Uma criança que tem o desenvolvimento infantil integral é uma criança mais fortalecida e que tem probabilidade muito maior de romper com algumas questões de vulnerabilidade. A ideia é trabalhar essas crianças na íntegra, para que no futuro elas venham a ser cidadãs, seres cheios de autonomia para lhe darem com situações que a vida for colocando pela frente”, afirma Luís.

Luís Silva de Souza, coordenador do PCF em Marabá.

Programa

O público prioritário do programa é composto por gestantes e crianças de zero a três anos, ou de até seis anos de idade, quando são usuários do Benefício de Prestação Continuada (BPC). O maior número de atendidos concentra-se hoje na área de abrangência do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Morada Nova, com 31%. Os Cras Amapá e Bela Vista correspondem a 25% do total cada, e o Cras da Nova Marabá por 18%.

Atualmente, o PCF atende 427 famílias, sendo 360 crianças e 67 gestantes. O município é pactuado ao Governo Federal para atender apenas 400 famílias, mas devido à demanda, já foi feita repactuação para, em breve, atender mais 200. Além da zona urbana, o Criança Feliz atende gestantes nas vilas de Brejo do Meio, Sororó, Três poderes, Capistrano de Abreu e União.

De acordo com Luis Silva de Sousa, coordenador municipal do PCF, os encontros duram em média 45 minutos e acontecem semanalmente para crianças e mensalmente no caso das gestantes. Por mês, são realizadas cerca de 1.600 visitas, em todo o município.

No país todo, são mais de 33 milhões de visitas realizadas por 21.655 visitadores. O trabalho consiste em acompanhar a gestação e os primeiros anos de vida da criança, além de passar orientações aos cuidadores sobre a importância de atividades que estimulem as crianças a desenvolver habilidades cognitivas, linguísticas, motoras, socioemocionais e um comportamento adaptativo.

Os interessados em participar do programa devem estar cadastrados no CadÚnico e procurar o CRAS mais perto da sua casa, além da própria Seaspac.  O PCF é totalmente gratuito.

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Arquivo PMM