CAPS: Atividades culturais marcam Dia Mundial da Saúde Mental

Nesta quinta-feira (10), os profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) realizaram diversas atividades na Praça Duque de Caixas, na Marabá Pioneira. Entre elas houve oficinas de teatro, dança, arte-terapia e exposição dos trabalhos realizados pelos pacientes do Centro. Também foi realizada a entrega de mudas de plantas em parceria com a Secretaria de Agricultura (Seagri).

A ação faz alusão ao Dia Internacional da Saúde Mental, comemorado em 10 de outubro. A terapeuta ocupacional, Estefânia Macedo, ressalta que o objetivo é demonstrar à população que a saúde mental pode ser cuidada em vários aspectos. “Boas relações sociais, exercícios de atividade física, integração com meio ambiente. Então trouxemos o CAPS para praça afim de demonstrar à sociedade o que a gente faz”, ressalta.

Além dos profissionais, a ação contou com a participação de vários pacientes do CAPS, entre eles, José Gaia, 46 anos. Ele faz tratamento no Centro há 8 anos e lá também participa das oficinas de música, onde aprendeu a tocar violão. “A presença do grupo que está aqui me deixa muito feliz. Conscientizar que a saúde mental tem que ser cuidada. Faço terapia ocupacional e tenho muito prazer e orgulho de falar que isso é importante para minha vida”, conta.

José Ribamar, 55 anos, conta que teve problemas com álcool e graças a ajuda do Centro conseguiu abandonar o vício. “Comecei usando álcool como social e acabou me prejudicando. Mas com o tratamento dos profissionais do CAPS, estou a dois anos já sem colocar uma gota de álcool na boca. Por isso o evento é importante por que as pessoas não tem conhecimento da dificuldade e temos que apresentar as pessoas.”, conta

José Ribamar

José Gaia

 

 

 

 

 

 

 

24 horas

A ação também serviu para celebrar uma nova fase do CAPS, que passará a funcionar nos finais de semana a partir deste sábado. E ainda este ano terá atendimento a pacientes 24 horas por dia. Aloisio Lima Marin, 38 anos, usuário do CAPS desde 1994, conta que está há 13 anos sem fazer uso de medicamento controlado, graças a ajuda dos profissionais do CAPS. Ele participa das oficinas de pintura e jardinagem e comemora o atendimento integral que o centro propiciará. “Somos parte do povo e da sociedade, somos felizes por ter o CAPS que cuida de nós dia após dia. Fico contente que o Centro estará aberto de domingo a domingo para atender seus usuários. Sou filho de marabá e isso me deixa muito feliz”, conclui.

Aloísio Lima Marin

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos 

 

 

 

 

ACESSIBILIDADE
X