CCZ: Estrutura física do Bloco cirúrgico está sendo finalizada

A estrutura física do Bloco Cirúrgico do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) deve ser concluída este mês, considerando que chegaram as últimas peças (bancadas em granito), que estão sendo instaladas, inclusive com esquadrias (porta de banheiro) de alumínio.

Segundo o responsável técnico pela obra, engenheiro civil Alex Amoury, o contrato da obra foi assinado em 24 de setembro/2019, com vigência de 12 meses, pelo montante de R$ 367.605, 82. O serviço inclui um quiosque, também concluído, que servirá de sala de espera em área aberta, com objetivo de recepcionar quem levar seus animais para os procedimentos cirúrgicos.

De acordo com Nagilvan Amoury, gerente do CCZ, o Bloco Cirúrgico vai oferecer mais condições de trabalho, visto que será composto de todos os espaços que o serviço requer, ou seja, além da sala de cirurgia, terá sala pré-anestésica e sala pós-cirurgia (recuperação) e todos os espaços periféricos como administração, banheiro e área de higienização apropriada.

Com conclusão da estrutura física, a execução dos procedimentos cirúrgicos no bloco será realizada após a entrega de mobiliário e equipamentos, que já foram licitados.

Ainda segundo Nagilvan, foi autorizado o recapeamento asfáltico do estacionamento e área de recepção de animais, serviço recém-executado e que facilitará o manejo sanitário de parasitas (carrapatos, pulgas…) que vêm nos animais de rua apreendidos ou que chegam para doação.

Quanto às cirurgias, seguirá a média de 40 procedimentos (castração e histerectomias) semanais, observando-se as normas impostas em razão da pandemia para evitar aglomeração de pessoas.

O agendamento para histerectomias e castrações podem ser pelo telefone 3324-4411, que é WhatsApp. Enquanto os procedimentos cirúrgicos, neste período de pandemia, acontecem aos sábados e domingos, para diminuir o fluxo de pessoas.

A esterilização de cães e gatos tem como objetivo o controle populacional, bem como evitar o abandono e sofrimento, além de ser importante à própria saúde humana, uma vez que animais errantes de rua ou sem os devidos cuidados, são potenciais transmissores de doenças (zoonoses), a exemplo da leishmaniose visceral.

O Centro de Controle de Zoonoses funciona todos os dias (segunda-feira a domingo), na Avenida 2000, bairro Novo Horizonte.

Veja outras fotos: 

Texto: João Batista
Fotos: Divulgação 

Acessibilidade