Cidadania: Programação especial marca Dia Internacional da Mulher

Um café da manhã abriu a programação do Dia Internacional da Mulher, preparada pela Prefeitura de Marabá e Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Mulheres, na Praça São Félix de Valoís, neste domingo (08). A festa iniciou por volta das 08h30 e encerrou a noite.

Júlia Rosa, a frente da da coordenadoria, destacou que a ideia era de fazer algo mais suave e divertido, já que o dia anterior havia sido de luta, com a realização da marcha das mulheres. “Foi um momento rico onde as mulheres usaram seu poder de reivindicação, sua voz, no sentido de cobrar efetivação das políticas. Hoje (domingo), é uma ação leve, de dança circular para trabalhar o seu eu, o seu empoderamento” destaca.

Julia Rosa

A programação envolveu várias outras secretarias. A secretaria de Agricultura distribuiu mudas de árvores para plantio. Já a Secretaria de Saúde, por meio do  Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) disponibilizou testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatites B e C. Já a Secretaria de Cultura deu apoio logístico e cultural com apresentação artística e a Assistência Social ofertou uma oficina de reciclagem e planta.

O Rômulo Gemaque, estudante de psicologia da Unifesspa foi quem conduziu a dança circular com as mulheres presentes. Ele destaca os benefícios da atividade como a interatividade, resgate da espiritualidade e o autoconhecimento. Para o dia da mulher ele preparou danças com o tema “Sagrado feminino”.

“Para tentar abranger cada representação do mundo, da feminilidade. Da Índia, da tradição africana, da tradição cristã. Essa roda foi preparada com esse intuito, de trazer essa delicadeza do feminino, essa pluralidade, essa diferença entre as culturas, assim como na vida, as mulheres são diferentes, não só no aspecto físico”, explicou.

Rômulo Gemaque

A escritora Auridéia Moraes foi uma das primeiras mulheres a chegar na Praça São Félix de Valoís, para aproveitar a programação. Além de tomar café com companheiras de luta, ela participou das chamadas danças circulares e das distribuição de mudas. “É uma programação maravilhosa, trouxe uma amiga e uma irmã. Viemos prestigiar. E quando começou a distribuição das árvores eu vim pegar uma muda pra minha neta. Eu tenho um jardim enorme. Um neto que plantou um pé de jabuticaba, já comeu da fruta e agora tô levando esse pé de caju para minha outra neta”, explicou a escritora.

Aurideia Moraes

A bancária aposentada, Rita Cirqueira, se interessou pela oficina de reciclagem. Ela conta que a preservação do meio ambiente faz parte de sua vida, por isso, a programação chamou a atenção. No curso, o departamento de Geração e Renda da Secretaria de Assistência Social, ensinou as mulheres a reutilizar garrafas de plásticos transformando-as em bonecas, vaso de planta para jardim ou até mesmo uma horta.

“É uma coisa simples, não dá trabalho,qualquer pessoa pode fazer e a formação da beleza é de cada um. A planta pode ser um pé de coentro, de chazinho, hortelã, dá uma cesta linda. Não pode é jogar no lixo e sim reaproveitar”, enfatiza a aposentada.

Wildo Tavares, coordenador do departamento de Geração de Emprego e Renda destaca que a oficina incentiva as pessoas a reaproveitarem o plástico e ainda ganhar uma renda extra. “A oficina dura no máximo uma hora. Trouxemos três demonstrações para sortear às presentes”, disse o coordenador.

Na parte da tarde, a festa ainda contou com sorteio de brindes, Yoga, apresentação artística e o retorno da feira do sol.

Texto: Leydiane Silva 
Fotos: Paulo Sérgio 

Acessibilidade