Cidadania: Projeto Social da Macrodrenagem da Grota Criminosa promove atividades para estudantes

Uma grande atividade sobre educação para o trânsito foi realizada nesta terça-feira (2), em frente a Unidade Básica de Saúde Enfermeira Zezinha, na Folha 23, Nova Marabá. O evento, que faz parte do Projeto de Trabalho Social da obra de construção da Macrodrenagem e Urbanização da Grota Criminosa, contou com a participação de mais de 100 alunos de 6 a 12 anos, da Escola de Ensino Fundamental Tancredo Neves.

Na programação, as crianças participaram de palestras organizadas pelo setor de Educação do Departamento Municipal de Trânsito Urbano, e de muitas atividades lúdicas, inclusive com uma pista montada para demonstrar ao público a importância de respeitar a sinalização de trânsito, além de um teatro de bonecos de fantoches.

 

 

 

 

 

 

A assistente social do projeto de macrodrenagem, Lúcia Martins, acompanhou a programação. Ela afirmou que outras todas as atividades estão sendo desenvolvidas junto à comunidade como oficinas e cursos de qualificação. “O projeto social da macrodrenagem é um projeto que acompanha a obra da engenharia e, paralelo à isso, realizamos estas atividades de cunho ambiental, social e cultural junto à comunidade impactada pela obra para dar continuidade a este trabalho. Hoje focamos na educação para o trânsito junto às crianças da comunidade, estamos na reta final de nossas atividades e pedimos que a comunidade aproveite as ações que estão sendo desenvolvidas”, afirmou.

Luana Bastos do setor de projetos sociais da Sevop disse que o projeto atende às comunidades das folhas 23 e 26, com ações sociais mensais a partir da reativação da obra da Grota Criminosa. “Todos os meses temos uma campanha de atividades que incluem oficinas, cursos de capacitação e, esta semana em homenagem ao aniversário de Marabá, estamos trabalhando com as crenças em parceria com o DMTU e com a escola Tancredo Neves para que nossas crianças cresçam aprendendo a dar valor à vida e respeito ao transito”, explicou a servidora Luana Bastos.

 

 

 

 

 

 

Texto: Victor Haôr

Fotos: Hilton Rodrigues

ACESSIBILIDADE
X