Covid-19: De forma integrada, órgãos de segurança vão aumentar fiscalizações

Em coletiva com a imprensa, na manhã desta terça-feira (14), no auditório da Prefeitura de Marabá, representantes dos órgãos de segurança anunciaram maior vigilância, controle e rigidez contra as aglomerações em espaços públicos, visando combater o novo coronavírus, e desta forma, cumprir o que determina os decretos municipal, estadual e federal.

Na análise do secretário municipal de segurança institucional, Jair Guimarães, que coordenou a reunião, é necessário endurecer mais a luta contra a covid-19, “Percebemos que a comunidade ainda não está entendendo a gravidade e o perigo que esse vírus oferece às pessoas”, alerta.

A coletiva pode ser vista no Facebook e no Youtube da Prefeitura de Marabá.

Logradouro públicos, feiras e transporte 

Jair Guimarães informou ainda que a partir desta terça-feira (14), os espaços públicos serão fiscalizados pelos agentes de segurança, como a Polícia Militar e a Guarda Municipal, fechando as academias ao ar livre, pistas de atletismo e de caminhadas e parques públicos com o objetivo de evitar as aglomerações, cumprindo o que determina o decreto estadual nº 609 e o decreto municipal nº 32.

As ações também se estenderão às feiras livres e cobertas com o intuito de limitar tanto o número de pessoas nestes locais, quanto o acesso aos ambientes fechados, bem como orientar  sobre o uso da máscara e álcool 70%.

“As orientações e fiscalizações se estenderão também ao transporte público de Marabá, onde os usuários terão que usar os equipamentos de proteção individual, como  máscara e uso de álcool, tanto para o passageiro como para o condutor, seja de mototáxi, táxi ou ônibus”, explica Jair.

Comércio 

Em relação ao comércio, foi explicado que as ações de orientação e prevenção já iniciaram com o trabalho das equipes da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) em todos os núcleos. Segundo o coordenador Daniel Soares, o número de equipes foi ampliado e já percorreu toda a área comercial da cidade.

“A vigilância sanitária está visitando todos os comércios e a partir desta terça-feira (14)  ampliaremos as equipes, realizando as fiscalizações e orientando a tomar as medidas necessárias. Vamos orientar, notificar e, se for o caso, interditar o estabelecimento”, informa.

Ele pontua ainda que os supermercados deverão reduzir em até 50% o número de pessoas em circulação dentro do estabelecimento e recomenda que as famílias possam diminuir as idas aos supermercados. “Recomendamos que a família limite a apenas uma ou duas pessoas a ir aos supermercados e nisso a população pode nos ajudar”, disse.

Bancos

Todo o trabalho de fiscalização em repartições públicas e privadas será acompanhado pelos órgãos de segurança pública. De acordo com o Tenente-coronel Félix Marinho, subcomandante do Comando de Policiamento Regional (CPR) II, as fiscalizações serão mais rigorosas nas casas lotéricas e agências bancárias, buscando “o distanciamento social destes clientes de um metro e meio de um para outro para que não haja o risco de contaminação na entrada dos bancos, também junto aos gerentes, vamos orientar a entrada de 10 em 10 pessoas nas agências e vamos insistir que as pessoas utilizem seu equipamento de proteção individual, como o álcool e a máscara”.

Ainda de acordo com o subcomandante do CPR II, serão 32 policias militares no revezamento das fiscalizações em todos os espaços públicos, como academias ao ar livre, parquinhos entre outros. Ele orienta que as pessoas permaneçam em isolamento e procure realizar suas atividades físicas em casa.

“Orientamos as pessoas a não saírem para estes locais pois serão orientados a retornarem para casa, tanto nos locais abertos públicos quanto nos locais fechados ou privados, com isso vamos conseguir reduzir e controlar o contagio da doença”, enfatiza.

As ações de combate às aglomerações e, assim do avanço da Covid-19, estão sendo integradas com todos os órgãos de segurança, conforme ressaltou o delegado superintendente do Sudeste  Thiago Carneiro Rodrigues.

“Todos estão tendo um papel fundamental e o da Polícia Civil é trabalhar no auxílio aos outros órgãos, na parte da prevenção e repressão. A partir do momento que não for cumprido a Polícia Civil atuará utilizando o direito penal que diz respeito as restrições de liberdade e sanções administrativas, como multa de até 50 mil reais e interdição do estabelecimento comercial que não cumprir o que determina a lei”, explica.

A Divisão de Vigilância Sanitária pede o apoio da população no combate às aglomerações, denunciando pelo número 94 3323 – 2020.

Texto: Victor Haôr
Fotos: Paulo Sérgio 

Acessibilidade