Covid-19: Disque Denúncia é parceiro na luta contra a proliferação do coronavírus

O Disque Denúncia passou a receber informações sobre a pandemia da covid-19, desde o dia 18 de março. De lá para cá, nesses 33 dias, já foram registradas 349 denúncias diferentes. Uma média de 10 denúncias diárias. Do total, cerca de 52% são do município de Marabá, o que gira em torno de 175 denúncias, mais de cinco por dia.

A maior parte das denúncias relacionadas ao novo coronavírus no município são oriundas da Nova Marabá (56%), seguido pela Cidade Nova com 33%. A Marabá Pioneira é responsável por 5% e São Félix também por 5%.

A população tem denunciado locais com aglomeração, estabelecimentos que estão desrespeitando os decretos municipais e estaduais, venda de álcool em gel com preços abusivos, empresas que não estão adotando os protocolos de proteção contra a covid-19, pessoas que não respeitam o isolamento, pessoas que chegaram de outros estados, mas não procuraram o médico ou não estão cumprindo a quarentena.

68% das denúncias realizadas são relacionadas às empresas e organizações religiosas e 32% relacionados às aglomeração em residências e/ou logradouros públicos. “A quantidade de ligações para o Disque Denúncia dobrou. Montamos um gabinete de crise com todos os órgãos de segurança pública. É feito um relatório de todos lugares que estão desrespeitando os decretos. Que a população siga ligando para que que juntos possamos fazer esse trabalho de combate”, sublinha Helen Cristina Machado, Coordenadora do Disque Denúncia do Sudeste do Pará.

As ligações realizadas para o órgão são 100% anônimas e são sempre repassadas para os órgãos fiscalizadores competentes. O Disque denuncia está operando em modo remoto (Home Office) e você pode denunciar através do numero telefônico (94) 3312-3350, pelo Whatsapp (94) 98198-3350 ou do aplicativo oficial que pode ser baixado pesquisando por Disque Denúncia Sudeste do Pará nos telefones android e ios

Violência Doméstica

A coordenadora ressalta também a importância de se denunciar casos de violência doméstica, que tendem a aumentar durante esse período de isolamento social. “Em outros estados esses números têm aumentado, então decidimos fazer a campanha e pedir que a população ligue para preservar, prevenir que isso não aconteça”, reforça.

Muitos dos casos de violência doméstica não são denunciados pela vítima por inúmeros motivos, como o medo ou falta de informação. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), a cada ano, cerca de 1,3 milhão de mulheres são agredidas no Brasil.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Divulgação

Acessibilidade