Covid-19: Estabelecimentos comerciais não essenciais são fiscalizados

Depois do último decreto que voltou a fechar o comércio no Pará, divulgado na semana passada, a partir de segunda-feira, 27, a Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) promoveu orientação e fiscalização das atividades comerciais consideradas não essenciais.

Diante da desobediência de alguns estabelecimentos, nesta quinta-feira, 30 de abril, a Divisa realizou uma ação em uma grande loja de departamentos, próxima ao aeroporto, por estar aberta e não ser considerada como serviço essencial, assim como outros pontos comerciais que tentam ficar com as portas abertas.

“Nossa medida é com cautela porque são pessoas que estão precisando trabalhar. Por isso, a Vigilância Sanitária tem o hábito de também usar o bom senso nesses casos, estabelecendo prazos para que esses ambientes sejam fechados”, declarou Daniel Soares, coordenador da Divisa.

Em outra linha de frente, a Divisa e a Secretaria de Segurança Institucional têm conversado com a Superintendência da Caixa Econômica Federal no sentido de adotar medidas de controle para evitar aglomerações nas agências da Caixa, por conta do Benefício Emergencial e outras situações. “Já estamos tomando as medidas para que possamos ajudá-los a manter esse controle, porque verificamos que 50% das pessoas que estão nas filas são somente para pegar informações”, declara o coordenador da Divisa.

Uma das medidas são tendas, às proximidades das agências, que já estão sendo colocadas pelo Departamento Municipal de Trânsito Urbano (DMTU).

Vale ressaltar que denúncias para a Vigilância Sanitária podem ser feitas pelo 94 3323-2020.

Texto: João Batista 
Foto: Arquivo

Acessibilidade