Covid-19: Herles Antônio comemora a cura da doença, após 30 dias de tratamento

As pessoas estão relaxando. Se tiver como fazer a higienização sempre que retornar para casa, não importa para onde foi, faça.

O servidor público municipal Herles Antônio Teixeira, 45 anos, passou a ver a vida de uma forma diferente, após a experiência com a Covid-19. Ele que já valorizava a vida, desde que sobreviveu a um grave acidente que o deixou paraplégico, em 2012, agora tem um motivo maior para celebrar o que chama de preciosidade. Ele venceu a covid após lutar 30 dias contra a doença e a maior parte do tratamento foi feita em casa mesmo.

“É um inimigo invisível. É diferente dos outros vírus que a gente já conhece que sabe como cuidar, porque ele é novo. Senti muito medo, não é brincadeira. A gente vê a morte frente a frente” comenta Herles.

O servidor não desconfia onde pode ter sido infectado. Ele trabalha em contato com muitas pessoas, pois é agente de portaria de um hospital público. Herles Antônio só teve a certeza da doença quando buscou atendimento para tratar uma pneumonia, no finalzinho de março. Por causa do acidente ele faz tratamento nos pulmões. O diagnóstico da Covid-19 surpreendeu.

“Procurei o HMM, daí o médico avaliou e viu que eu tava com Coronavírus. Eu dava febre de 38 graus, muita falta de ar, cansaço, dor de cabeça, tosse” descreve ele sobre os sintomas os quais sentiu.

Herles agora alerta as pessoas para o cuidado com a doença

Devido à falta de ar, o servidor teve de receber oxigênio. Foram 5 dias de internação no HMM. Ele conta que durante esse período lutou contra a dependência da máscara de oxigênio. Fez curtos exercícios de respiração seguindo orientações de profissionais. Usando as técnicas e com os cuidados hospitalares retornou para casa em menos de uma semana, onde continuou com a medicação.

Agora os cuidados de Herles Antônio são para proteger também a família dele, a esposa e os dois filhos adolescentes. Mas sempre que ele pode, alerta outras pessoas sobre a prevenção contra o coronavírus.

“O pessoal as vezes me acha até chato. Tenho um comercinho aqui e se alguém vier sem máscara eu não atendo. Quero dizer para as pessoas terem muito cuidado. As pessoas estão relaxando. Se tiver como fazer a higienização sempre que retornar para casa, não importa pra onde foi, faça”, alerta o servidor público.

Herles passou 5 dias internado e retornou para concluir tratamento em casa

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Paulo Sérgio

Acessibilidade