COVID-19: “Mesinha solidária” beneficia famílias e trabalha a coletividade

Uma mesinha cheia de alimentos não perecíveis, frutas, fraldas descartáveis, máscaras e um cartaz, já beneficiou mais de 100 famílias, desde a noite do último sábado (18). A inscrição é a seguinte: “Ponto solidário, se puder doar, doe. Se precisar retirar, retire pensando no próximo”. A ideia partiu do microempreendedor Antônio Marcos Pereira de Souza e do funcionário público Nilson Braga. O projeto em forma de ação solidária está localizado entre a Avenida Tocantins e Rua Rio de Janeiro, Bairro Belo Horizonte. Em tempos de pandemia do novo coronavírus, onde muitos autônomos, entre outros profissionais, estão sem renda, a atitude caiu no gosto do marabaense que participa ativamente da ação.

Segundo Antônio Marcos, os doadores são pessoas que passam pela rua constantemente e estão sensíveis à causa. “Na hora que ‘seca’ a mesinha outras pessoas reabastecem. Até um álcool amarrado na mesinha para higienização nós temos. As pessoas têm se mostrado solidárias, muitas doando. Deus me deu essa ideia e eu coloquei em prática”, explicou, lembrando que já participa de outros projetos como doação de sopa, e ainda doação de salgadinhos para alunos, como as escolas estão fechadas, Antônio transformou a doação antiga em alimentos.

“O esquema é quem puder doar, doa, quem não puder retire pensando no próximo. Estamos limitando ao máximo três itens por pessoa, mas quando a família é grande a gente deixa à vontade”, esclarece, pontuando que somente um homem não respeitou as regras levando todos os itens de uma vez só, sem pensar no próximo.

Por volta do meio-dia desta quarta-feira (22), Genival Oliveira morador do Bairro Vale dos Carajás, estava pegando alguns itens da mesinha, como macarrão e material de limpeza. Ele está desempregado e ficou muito grato com a iniciativa. “Está sendo uma boa ajuda, venho buscar todo dia”, agradeceu Genival.

A estudante Poliana Milhomem parou o carro para fazer uma doação no momento em que Genival retirava seus itens. Poliana viu pelas redes sociais sobre “a mesinha solidária”. “Eu moro aqui na outra rua e faz dias que planejei vir e deu certo hoje, resolvi trazer a doação. Trouxe arroz, feijão, macarrão e material de limpeza. Eu adorei a inciativa, algo bem bacana, as pessoas estão se conscientizando em pegar só os alimentos e itens que precisam, achei muito massa [sic]”, expressa a estudante.

Veja mais fotos:

Acessibilidade