Covid-19: Uso de máscaras é um grande aliado da população contra a doença

As máscaras podem ser feitas em casa e reutilizadas após a lavagem

Em tempos de pandemia causada pelo Coronavírus a máscara de proteção deve ser um equipamento essencial para aquelas pessoas que precisam sair de casa. O comércio funciona de forma parcial, mas com rígidas recomendações de enfrentamento ao Coronavírus no município, e uma das maiores orientações atuais é o uso da máscara, pois reduz a probabilidade de contágio.

Os médicos do Centro de Especialidades Integradas de Marabá (CEI) estão atentos a essa movimentação. O ortopedista Leonardo Dias ressalta a necessidade da permanência da população em casa, no entanto faz uma ressalva importante para as pessoas que precisam deixar o lar. O cumprimento rigoroso com as medidas de prevenção contra a covid-19 não deve ser desprezado.

Ortopedista Leonardo Dias

“Para aqueles que precisam extremamente sair para ir ao mercado, resolver serviços essenciais e que devem ser realmente essenciais, nós lembramos a necessidade do uso da máscara. Vamos nos habituar ao usar as máscaras de proteção. E para nós profissionais de saúde o uso das máscaras cirúrgicas e dos equipamentos de proteção individual é necessário para o combate à disseminação dessa nova doença”, adverte o médico.

O cardiologista Ronaldo Almeida também reforça o pedido do uso das máscaras de proteção por parte da população em geral. Ele lembra que esse importante equipamento de proteção pode ser feito até mesmo em casa. As chamadas máscaras caseiras não tem perda de eficiência e ainda podem ser reutilizadas inúmeras vezes, após lavagem.

“São máscaras que você pode adquirir de forma barata ou fazer em casa que vai proteger o outro e a si mesmo. Se todos nós utilizarmos máscaras com certeza a disseminação da Covid-19 será muito menor e nós poderemos passar por mais essa guerra com muito mais eficiência”, destaca o cardiologista.

Cardiologista Ronaldo Almeida

Daniela Casanova, médica de cabeça e pescoço, explica que o uso da máscara diminui a contaminação na medida em que impede o contato das pessoas com o vírus espalhado no ar por um espirro ou tosse.

“Sem querer a gente emite gotículas para o ar, mas não são visíveis. Com a utilização de máscaras essas gotículas ficam presas fazendo com que isso diminua a contaminação para outra pessoa. E se a outra pessoa que estiver conversando com a gente também estiver utilizando a máscara vai diminuir a contaminação pra gente”, alerta a médica.

Médica Daniela Casanova

Além do uso de máscaras, os médicos citaram outras medidas importantes e necessárias como a lavagem continua das mãos com água e sabão durante uma contagem de até o número 20; o uso de álcool 70 e álcool em gel; e ainda tomar banho e tirar os calçados sempre que puder ao voltar da rua.

O flanelinha José Carlos Costa já compreendeu que não pode descuidar da saúde e trabalha usando uma máscara de tecido.

“A população tem de usar máscara. Eu estou me prevenindo e as pessoas também deve se prevenir. Essa pandemia é séria viu”, observa.

José Carlos trabalha prevenido

Devido à dificuldade de máscara no comércio, dona Gonçalvina de Oliveira resolveu fazer a sua parte. A professora acumula profissões, aprendeu a costurar ainda na infância com a mãe e nos últimos dias tem se dedicado a confecção de máscaras para venda. O custo é de apenas 6 reais cada uma.

“Você vê o tanto de morte que acontece devido ao Coronavírus. É uma coisa assustadora. Por isso resolvi fazer as máscaras devido a procura, a falta no mercado e não estou dando conta porque a procura é grande. Então fique em casa, se cuide”, enfatiza a costureira.

Gonçalvina de Oliveira está fazendo sua parte

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Sérgio Barros

Acessibilidade