Covid-19: Vigilância Sanitária promove ações na zona rural

Uma equipe da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa) realizou ações de orientação e fiscalização sobre o cumprimento dos decretos, que visam conter a proliferação do novo coronavírus, em várias vilas da zona rural do município. O trabalho, que contou com órgãos da Secretaria de Segurança como o Departamento de Segurança Patrimonial, iniciou no dia 07 de maio e finalizou nesta sexta-feira (15), na Vila Sororó, lá foram notificados 18 estabelecimentos e outros 30 receberam orientação.

“Fizemos as Vilas Capistrano de Abreu, União, Santa fé, Itainópolis, Cabo de Aço, São Pedro, essas vilas que ficam próximas, aos arredores das vilas principais. Fomos no Murumuru e na Sororó. Como não havíamos feito visitas nessas vilas depois da publicação dos decretos, fizemos ações de orientação, junto aos comerciantes, tanto dos serviços essenciais quanto dos não essenciais”, declarou o coordenador da Divisa, Daniel Soares, explicando que entre os locais abordados estão os restaurantes foram alguns dos locais avistados ainda funcionando normalmente.

“Aos essenciais orientamos quanto às medidas de segurança, e aos não essenciais, quanto à destinação de fechar as portas e atender por meio de delivery. Orientamos alguns restaurantes, que ainda estavam com mesas e servindo no local, eles aceitaram a retirada sem problemas. Cremos que as orientações foram frutíferas”, pontuou Daniel Soares, esclarecendo que serão realizadas visitas periódicas na zona rural para averiguação do cumprimento das medidas orientadas.

Na zona urbana da cidade, alguns estabelecimentos ainda tentam descumprir os decretos municipais e estaduais quanto ao fechamento dos locais considerados não essenciais. Como já foram feitas várias ações de orientação, a Divisão de Vigilância Sanitária esclarece que os pontos comerciais podem ser interditados, se flagrados ainda de portas abertas. A medida visa conter aglomerações e com isso reduzir a proliferação do novo coronavírus.

Quanto aos ambulantes, só são permitidos manter atividade comercial os que vendem produtos alimentícios, mantendo as regras de higiene necessárias.

Texto: Kélia Santos
Fotos: Divulgação Divisa

 

Acessibilidade