Cultura: Romaria Fluvial encerra festividades do Divino Espírito Santo em Marabá

Dezenas de devotos do Divino Espirito Santo participaram da romaria fluvial, no último sábado (31), que encerrou festejos dos 18 grupos de Divino existentes em Marabá. A romaria teve início no porto do Amapá, no Rio Itacaiunas, e encerrou no porto da Colônia de pescadores Z-30, no bairro de Santa Rosa, na Marabá Pioneira, onde está localizada a igrejinha do Divino.

Esta foi a 28ª edição do evento, organizada pelo grupo de Divino do bairro Amapá, cuja responsável é a senhora Osmarina Coêlho. Segundo ela a tradição começou com o irmão Raimundo Coêlho, já falecido, e mantido pela família. “O Divino é uma doação de nossas vidas a uma causa sagrada. Uma tradição que não vamos deixar morrer”, discorreu.

As manifestações religiosas em torno do Divino Espírito Santo, todos os anos se renovam. Uma caminhada, no mês de maio, marcou o início dos festejos. A partir daí, em cada fim de semana, um grupo de Divino realizava as atividades que incluíam cânticos, orações, danças, ofertas e muita devoção e fé.

Em todos os bairros da cidade, há um grupo do Divino, sendo que os mais antigos estão no bairro do Amapá e Marabá Pioneira. Na programação do sábado, cerca de 20 barcos participaram da romaria pelas águas do Rio Tocantins. A bandeira vermelha do Divino, sendo carregada pelos foliões nos barcos, chamava a atenção das pessoas que acompanhavam a passagem da romaria pela Orla de Marabá.

Desde o ano passado a prefeitura de Marabá, através da Secretaria de Cultura, dá total apoio as festividades dos grupos do Divino. Além dos repasses do apoio financeiro, a Secult  contribui para a realização da abertura e do encerramento das festividades, dando estrutura para a realização de shows que marcaram a festa de encerramento.

Texto: Victor Haôr

Fotos: Sérgio Silva

ACESSIBILIDADE
X