Defesa Civil: Brigadistas já atenderam mais de 160 ocorrências de queimadas

O combate às queimadas continua intenso em Marabá. Os brigadistas da Defesa Civil Municipal em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Ministério Público, Exército Brasileiro e Corpo de Bombeiros já atenderam 161 ocorrências desde que as operações iniciaram no dia primeiro de julho.

“Esse mês de agosto, historicamente, há um maior número de registros. É o pico do verão, onde muitos donos de terrenos aproveitam pra fazer a limpeza e, portanto, a queimada”,  observa Arilson Santos, técnico de Defesa Civil.

Somente esta semana, entre os dias 27 a 30 de julho, os brigadistas atenderam 22 ocorrências. Segundo Arilson, a maioria dos casos, 60% deles são no núcleo da Nova Marabá. Em cerca de 10% dos casos, os infratores estão no local. Em todos os casos a Secretaria Municipal de Meio Ambiente é acionada para as devidas autuações.

Neste período, a recomendação é que as pessoas não toquem fogo na vegetação ou no lixo retirado dos quintais, para evitar degradação ambiental e problemas respiratórios, bem como penalidades por conta de crime ambiental.

No período do verão, as condições climáticas, estiagem com altas temperaturas e baixa umidade do ar, contribuem para aumento de focos de incêndio no município.

O coordenador da Defesa Civil municipal, Jairo Milhomem, aconselha a população a não realizar queimadas. “Esse ato de colocar fogo, prejudica muito a saúde das pessoas, principalmente de crianças, por questões respiratórias, a autoestima da cidade vai lá para baixo, com muita fumaça por todo canto, o que prejudica também o motorista no seu deslocamento, e mais uma série de fatores”, elencou Jairo Milhomem, destacando que trata-se de crime passível de multa e detenção, dependendo gravidade do incêndio, destacando o intenso trabalho dos brigadistas.

A Brigada de Incêndio da Defesa Civil atualmente conta 20 brigadistas.  Por dia, 10 deles atuam na zona urbana da cidade. Para combater os incêndios, além de todos os Equipamentos de Proteção Individual, as equipes utilizam mochilas costais, carro-pipa com 20 mil litros de água, rastelo e abafador.

Texto: Leydiane Silva 
Fotos: Divulgação 

Acessibilidade