Defesa Civil: Plano de Contingência de enchentes para 2021 prevê 8 abrigos

(1 de dezembro de 2020)

Os abrigos terão capacidade para 750 famílias

A Coordenação Municipal de Proteção e Defesa Civil de Marabá (COMDEC) elaborou o Plano de Contingência de enchentes dos Rios Tocantins e Itacaiunas para 2021. Ao todo serão utilizados oito abrigos, que visam atender a demanda, conforme as cheias dos rios, sendo a capacidade para 750 famílias. Diferentemente dos outros anos, o abrigo da Orla, na Colônia Z-30, não será utilizado.

“Ano passado tivemos uma experiência de prejuízo com esses abrigos, pode acontecer de cheia nesse local, o que acaba gerando problemas para a população, que necessita fazer uma segunda mudança. Para atender essa demanda, se necessário, teremos os abrigos da entrada da Velha, na Praça Paulo Marabá, Galpão do Acrob, galpão da Folha 32 ou até mesmo no Campo do Tatuzão”, explica Jairo Milhomem, coordenador da Defesa Civil do município.

Todos os locais de abrigos terão 4 banheiros, 4 chuveiros, sendo 2 masculinos e 2 femininos, espaço para lavanderia, secagem de roupa e área de recreação. A Prefeitura também garantirá o fornecimento de energia elétrica, reservatório de água com capacidade de 5 mil litros, agente de segurança 24 horas e coleta de lixo regular. O espaço de cada abrigo será de 4×4 metros.

Os 8 abrigos previstos a serem utilizados em caso de cheia são:

 – Praça Paulo Marabá, na Avenida Antônio Maia, entrada da Marabá Pioneira, com capacidade para 110 famílias;
– Galpão do antigo prédio da Acrob, na Avenida Getúlio Vargas, Marabá Pioneira, com capacidade para 50 famílias;
– Campo do Tatuzão, na Rua Fortaleza, Quadra Especial, Vila Poupex, com capacidade para 250 famílias;
– Galpão da Folha 32, Quadra 05, Lote Especial, com capacidade para 90 famílias;
– Quadra de Esporte da Obra Kolping, na Avenida Manaus, Bairro Belo Horizonte, com capacidade para 75 famílias;
– Abrigo do Vale Itacaiunas, localizado na Rua 06, Lote 18, com capacidade para 80 famílias;
– Praça do Bairro São Félix, localizada na Avenida Belém Brasília, com capacidade para 40 famílias; e
– Abrigo do Bom Planalto, na Rua Guarani, com capacidade para 80 famílias.

Os rios são monitorados diariamente por duas réguas. O plano de contingência será ativado quando os rios atingirem a cota 8.2 ou 10 metros de altura. “Estamos monitorando e entramos no nível de alerta a partir dos 9,45 metros”, explica Jairo. Caso ocorram enchentes, alagamentos, enxurradas, chuvas, vendavais, tempestades ou outros imprevistos que gerem pessoas desalojadas e/ou desabrigadas.

O principal objetivo é padronizar, a partir da adesão dos órgãos signatários, os aspectos relacionados ao monitoramento, alerta, alarme e resposta, incluindo as ações de socorro, ajuda humanitária e reabilitação de cenários, afim de reduzir os danos e prejuízos decorrentes desses desastres.

Segundo Jairo Milhomem, coordenador da COMDEC, o plano foi metodologicamente elaborado para uso prático, facilitando a coleta e a busca de informações, inclusive listando os principais organismos responsáveis por cada situação (instalação de abrigos, ajuda humanitária, saúde, coleta de lixo, etc.).

Jairo Milhomem

Texto: Osvaldo Henriques
Foto: Arquivo