Defesa Civil: Prefeitura realiza ações de saúde, higienização e assistência social nos abrigos

Na manhã desta terça-feira (31) o nível do Rio marcou 11,25 metros. A Defesa Civil só recomenda o retorno das famílias quando o nível atingir a marca dos 9 metros.

Durante a última semana a Defesa Civil de Marabá trabalhou arduamente na assistência aos desabrigados e desalojadas devido à cheia do Rio Tocantins e Itacaiunas. Já foram entregues 2.093 cestas básicas, sendo 1.320 pelo município. A Defesa Cívil também está realizando o abastecimento de água três vezes por dia nos abrigos. A higienização dos banheiros é realizada diariamente por duas vezes.

No total, serão entregues 3600 cestas básicas às famílias de desabrigados e desalojados. Sendo 1600 pelo Município e 2000 pelo Estado. Da parte da Prefeitura já foi realizada a entrega de 417 cestas básicas nos abrigos e 903 nos bairros atingidos, resultando em 980 cestas básicas nos abrigos e 1413 nos bairros.

“Todos os abrigos já receberam cesta básica e boa parte dos desalojados também. Somando todas as contribuições, o bairro que mais recebeu cesta básica é o Bairro da Paz, com 269, seguido pela Folha 33 que recebeu 211 cestas”, conta Jairo Milhomem, coordenador da Defesa Civil de Marabá.

Na segunda-feira (30) a Igreja Católica realizou ainda um sopão para as famílias que estão no abrigo da Obra Kolping. A ação contou com a presença do Bispo de Marabá, Dom Vital e teve suporte da Defesa Civil no atendimento de 68 famílias.

Nível do Rio

O rio já baixou 1,41 metros, desde que atingiu o seu pico de 12,66 em 21 de março. As 10h15min dessa terça-feira (31) ele marcou 11,25 metros. No entanto a Defesa Civil deixa claro que a recomendação é que os moradores só retornem para seus bairros quando o nível atingir a marca de 9 metros.

“Em 2018, por exemplo, nosso pico foi no dia 14 de abril. Por isso, por questão de segurança solicitamos que os moradores não retornem ainda. Tem alguns que voltam por conta própria. Não podemos impedir”, comenta Jairo Milhomem. Além disso, ainda será feita uma higienização nos bairros antes do retorno dos moradores, visando preservar a higiene e a saúde dos mesmos.

Higienização

No sábado, o Exercito realizou a higienização dos abrigos. Em um primeiro momento foi realizada a limpeza nos abrigos da Obra Kolping na Cidade Nova, do Tatuzão na Vila Poupex e da Acrobe na Avenida Getúlio Vargas, Cidade Nova. “É uma ação que será contínua, nos próximos dias será realizado esse processo nos outros abrigos espalhados pelo município”, conta Jairo Milhomem.

Saúde

As ações na saúde também seguem ocorrendo. Na sexta-feira (27) a equipe Extramuro da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esteve no Galpão da Folha 32 levando atendimento médico e enfermagem, vacinas, testes rápidos de sífilis e hepatite, aferição de PA, Emissão do Cartão SUS, testes de glicemia, e entregando medicamentos aos moradores.

No sábado (28) foi a vez da ação ocorreu no abrigo da Vila Carrapato, na Escola Sol Poente e no abrigo do Galpão no Bairro Bom Planalto. No domingo a ação ocorreu no Comitê do Bolsa Família, Abrigo da Feirinha, na entrada da Velha Marabá e na UBS João Batista Bezerra, atendendo o abrigo da Z-30.

As equipes da Saúde também têm prestado atendimento e monitoramento sobre possíveis casos do Coronavírus. Durante visita são distribuídos panfletos e informações sobre a doença e realizadas palestras sobre higienização e as formas de se evitar o contágio.

“Buscamos atender todas as famílias que procuram a Defesa Civil. Auxiliamos as famílias com construção de abrigos, caminhões do Exército e da Prefeitura, embarcações, mão de obra do Exército, corpo de bombeiros e secretarias como a de Obras (Sevop) e o Serviço de Saneamento Ambiental (SSAM)”, comenta Milhomem. Ao todo, foram utilizados sete caminhões baús da Defesa Civil, 25 caminhões de 25 toneladas do Exercito, um caminhão dos Bombeiros, quatro barcos da Defesa Civil, um barco dos bombeiros e cinco barcos do exercito ao longo da operação.

No total, há 5.163 famílias atingidas direta e indiretamente pela cheia, totalizando mais de 1.100 pessoas. Elas estão divididas em 15 abrigos localizados na Velha Marabá, Cidade Nova, Nova Marabá e São Félix.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio

Acessibilidade