Defesa Civil: Reuniões definem detalhes do Plano de contingência

(19 de fevereiro de 2021)

Após realizar o levantamento das áreas que podem ser afetadas e das famílias que vivem em situação de risco, a Defesa Civil está realizando uma série de reuniões para definir os detalhes do Plano de Contingência sobre enchentes de 2021. O rio está atualmente com 7,29 metros, com dado atualizados até as 11 horas desta sexta (19).

Nesta semana foi realizada uma reunião com o Serviço Saneamento Ambiental (SSAM) para definir a rotina de limpeza dos locais que receberão abrigos. Assim como a limpeza diária dos abrigos e a distribuição dos banheiros químicos. “O SSAM fica responsável por fazer o roço e deixar a área pronta para a montagem dos abrigos. Também realizará a limpeza e coleta diária dos lixos nos abrigos, caso seja necessário”, explica Jairo Milhomem, coordenador da Defesa Civil do município.

Ele conta que já estão agendadas reuniões para a próxima semana com as Secretarias Municipal de Educação (Semed), de Saúde (SMS) e de Assistência Social Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac). “Para educação e assistência social solicitamos mais pessoal para realização dos cadastros, micro-ônibus para levar as equipes se necessário. Já à saúde se encarrega de visitar os abrigos, para verificar a situação das crianças, dengue, Covid”, elucida.

Também já foram realizadas reuniões com a Secretaria Municipal de Segurança InstitucionalPolícia Militar, Bombeiros e com o ExércitoFicou decidido que haverá patrulha fluvial noturna pelas áreas alagadas para evitar os furtos que acontecem nas residências alagadas. A Guarda Patrimonial ficará responsável pelos agentes de segurança nos abrigos 24h. O Exército disponibilizará 12 caminhões, podendo aumentar para 20, com 6 homens em cada veículo. A Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop) ficará responsável pela montagem dos abrigos.

Há 7 locais de abrigos confirmados para serem utilizados em caso de cheia:

 – Praça Paulo Marabá, na Avenida Antônio Maia, entrada da Marabá Pioneira, com capacidade inicial para 110 famílias;
– Campo do Tatuzão, na Rua Fortaleza, Quadra Especial, Vila Poupex, com capacidade inicial para 250 famílias;
– Galpão da Folha 32, Quadra 05, Lote Especial, com capacidade inicial para 90 famílias;
– Quadra de Esporte da Obra Kolping, na Avenida Manaus, Bairro Belo Horizonte, com capacidade inicial para 75 famílias;
– Abrigo do Vale Itacaiunas, localizado na Rua 06, Lote 18, com capacidade inicial para 80 famílias;
– Praça do Bairro São Félix, localizada na Avenida Belém Brasília, com capacidade inicial para 40 famílias; e
– Abrigo do Bom Planalto, na Rua Guarani, com capacidade inicial para 80 famílias.

O oitavo abrigo, que está em fase final de negociação, deverá ser o Galpão do antigo prédio da Acrob, na Avenida Getúlio Vargas, Marabá Pioneira, com capacidade inicial para 50 famílias;

“A capacidade desses abrigos pode ser bem maior, podemos estender para até 1200, 1400 famílias conforme a necessidade. No Tatuzão podemos alocar até o dobro de famílias praticamente. Caso o rio passe dos 12 metros, por exemplo. Além de outros locais, como o campo do Chachurita, que podem ser utilizados conforme necessidade”, exemplifica Jairo Milhomem.

Todos os locais de abrigos terão 4 banheiros, 4 chuveiros, sendo 2 masculinos e 2 femininos, espaço para lavanderia, secagem de roupas e área de recreação. A Prefeitura também garantirá o fornecimento de energia elétrica, reservatório de água com capacidade de 5 mil litros, agente de segurança 24 horas e coleta de lixo regular. O espaço de cada abrigo será de 4×4 metros.

Os rios são monitorados diariamente por duas réguas. O plano de contingência será ativado quando os rios atingirem a cota 8.2 ou 10 metros de altura. “Estamos monitorando e entramos no nível de alerta a partir dos 9,45 metros”, explica Jairo.

 Caso ocorram enchentes, alagamentos, enxurradas, chuvas, vendavais, tempestades ou outros imprevistos que gerem pessoas desalojadas e/ou desabrigadas deve-se procurar a Defesa Civil que funciona na Travessa Carlos Leitão, 229, Marabá Pioneira.  

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Divulgação