Uma grande festa com participação de agricultores, professores e a comunidade em geral, marcou a inauguração da Escola Municipal de Ensino Fundamental Vitória, na última quinta-feira (14), localizada no Projeto de Assentamento (P.A) Alegria, região da vila de Brejo do Meio, distante cerca de 20 quilômetros de Marabá.

A festa emocionou a todos que compareceram. As homenagens às personalidades que já se foram e que deram longos anos de suas vidas pela construção de um espaço digno para as crianças do assentamento, além das histórias que marcaram a obra da escola Vitória, deram o tom de emoção e agradecimento.

Parte dessas histórias foi contada pelo senhor Manoel Marins, ex-presidente da associação de agricultores do P.A Alegria. Ele mora na área há 21 anos e sempre se empenhou pela construção da escola Vitória. “A escola foi criada a partir da ocupação do assentamento alegria em 1996, funcionava num barracão onde servia, além de escola, local de reuniões dos assentados. Em 1999 funcionou em uma sala cedida pela associação que era feita de taipa e coberta de palhas de coco babaçu”, lembra seu Manoel Marins.

A atual diretora da escola, professora Hildamara Costa, lembrou dos servidores que contribuíram para a manutenção da escola durante todos estes anos e que não mediram esforços para atender com dignidade os alunos. Ela lembrou que os agricultores têm na escola uma referência na vida de suas famílias. “Com a construção do prédio da escola Vitória, podemos afirmar que melhorou a autoestima dos moradores do assentamento, perspectiva de um futuro melhor para a comunidade, proporcionando bem-estar dos alunos e funcionários, contribuindo com o processo de ensino e aprendizagem”, afirma.

Com tantas histórias de dedicação e amor pela educação do campo, a professora Marilza Leite, secretaria municipal de educação, se emocionou e emocionou a todos, quando fez um relato de sua vida e das dificuldades que teve de enfrentar para chegar à escola todos os dias. “Minha família morava numa região que tínhamos que caminhar quatro quilômetros até chegar à escola, tudo era muito difícil. Na época de faculdade era uma viagem de 40 quilômetros. Mas todo sacrifício valeu a pena, pois sabia que somente através da educação eu poderia alcançar meus objetivos”, comentou Marilza Leite.

Professor Orlando Moraes, secretário adjunto de educação, destacou a participação imprescindível dos pais na formação das crianças. De acordo com ele, o pai é o responsável número um na condução da formação do caráter dos filhos. “Covarde é o pai que abandona o sonho dos filhos, ele deve ser o primeiro a sonhar junto com o filho, o futuro que ele deseja”, informou.

Os vereadores Mariozan Quintão e irmão Morivaldo Marçal, participaram da cerimônia onde enfatizaram a ação do poder legislativo para o crescimento e fortalecimento da educação do campo e da cidade.

Texto: Victor Hâor
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos