Janeiro Branco: CAPS promove ações com líderes comunitários e espirituais

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) irá realizar, ao longo do mês de janeiro, uma série de ações referentes ao Janeiro Branco, mês de prevenção à saúde mental. No dia 24 de janeiro, às 9 horas, está previsto uma a ação “Cuidando do cuidador”, uma “terapia coletiva” com os funcionários do SMS e SUS. No dia 31 de janeiro, também às 9 horas, a reunião será com os líderes espirituais e comunitários. Ambas acontecerão no próprio CAPS.

“Daimistas, evangélicos, católicos, espiritas, umbandistas, candomblecistas, kardecistas, todos são bem vindos. Os líderes comunitários e toda sociedade civil que quiser participar também está convidada”, convida o médico de saúde mental, Charles Roosevelt, explicando que a ideia de reunião é promover uma melhora na saúde mental coletiva, através de ações que a própria comunidade possa executar coletivamente e individualmente.

No dia 24, a ação prevê uma terapia coletiva com os cuidadores da rede de saúde. “O cuidador não pode ficar doente. Se não a sociedade fica doente. Por isso, achamos importante buscar essa ação que será mais prática, com menos conversa e mais ação. Um dia repleto de atividades”, comenta.

Além disso, ainda estão sendo discutidas levar algumas ações para as comunidades e escolas. “Estamos discutindo com a comunidade do Cabelo Seco, para fazer uma ação na praça. Também há outras conversas com algumas escolas para levarmos essas ações. O importante é que a sociedade saiba que existe a saúde mental e ela precisa ser cuidada”, reforça Charles.

Charles Roosevelt, médico de saúde mental 

Janeiro Branco

A campanha Janeiro Branco faz parte do cronograma do Ministério da Saúde, que aborda temas diferentes para serem discutidos em cada mês, visando a melhora da saúde coletiva. “Diferente dos outros meses, como Outubro Rosa, Setembro Amarelo, Novembro Azul, o Janeiro Branco não é focado na doença, como tuberculose ou câncer, é focado na promoção da saúde mental, que normalmente não é valorizada pelo cidadão”, sublinha.

A saúde mental refere-se às formas como a pessoa se relaciona com os outros e consigo mesmo. Por isso, o foco do CAPS esse ano será ações na comunidade. “Atividades que as pessoas saiam dos seus núcleos individuais e consigam trabalhar e se divertir em conjunto pelo bem da sua comunidade. Na nossa sociedade a competição é um dos principais fatores de doença mental. Cooperar e não competir é uma forma de cuidar da saúde mental”, completa.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos / Arquivo 

Acessibilidade