Meio Ambiente: Estudantes apresentam trabalhos ambientais na 7ª Conferência Municipal

A 7º Conferência Municipal do Meio Ambiente levou os alunos da rede municipal de ensino ao plenário da Câmara de Vereadores, nesta quinta-feira (06), para falar de questões ambientais. O evento, promovido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) em referência ao Dia Mundial do Meio Ambiente, buscou conscientizar a sociedade e mostrar os trabalhos ambientais realizados nas escolas de Marabá.

Além dos alunos e palestrantes, representantes da própria Semma e do Conselho Municipal do Meio Ambiente (Comam) participaram do evento. O secretário do meio ambiente de Marabá, Rubens Borges Sampaio, explica que o Projeto de Agenda Ambiental da Escola vem sendo feito ao longo do ano. E que hoje as escolas expuseram o que foi realizado em 2018. “Abordamos a questão da poluição, degradação, proteção dos nossos recursos naturais, biodiversidade, entre outros”, disse.

 

 

 

 

 

 

Ferdinanda Ferreira, professora de ciências do colégio Deusuíta de Melo, destaca que foram desenvolvidas oito ações que abordaram três vertentes diferentes. Os alunos aprenderam a racionalização do consumo, tanto de água, quanto de energia. “Na primeira ação foram feitas visitas na Cosanpa e na Estação de Tratamento de Esgoto. A arborização aconteceu na Boa Esperança, onde tiveram contato com a comunidade, entregando certificado para que a comunidade participasse no cuidado com as plantas. Fizemos também uma passeata contra queimadas urbanas. Sempre fazendo essa relação dos alunos com a comunidade, tornando-os também consciente das suas ações”, ressaltou.

 

 

 

 

 

 

Ferdinanda conta que entre os alunos selecionados, foram escolhidos alguns com problemas de relacionamento, gerando bons resultados no comportamento ambiental e social. “Os alunos criaram valores com o restante da escola. Houve melhora não só na conscientização referente aos conceitos e valores que foram abordados, como em questão de comportamento dentro da sala de aula”, destaca.

A professora, Nara Nubia Soares, da escola Pedro Peres, esclarece que o projeto começou em abril do ano passado, quando dois agentes da Semma procuraram a escola e pediram que fosse feito a seleção dos alunos. “Falamos sobre a importância socioambiental para eles e foi muito bem aceito. Fizemos oficinas. Hoje os alunos fazem coleta de papel, plantamos mudas para arborizar a escola. Próximo passo é fazer uma horta”, frisou.

A aluna do Pequeno Príncipe, Ewellyn Nicoli Cardoso Soares, de 12 anos, foi uma das que participaram do projeto. “Foi muito legal porque além de criar conhecimento sobre assunto, pude ajudar a escola. Ajudei a fazer cartazes, lixeiras, murais, enfeitar. Eu dava ideias e elas viam se eram qualificadas para a escola. Plantamos coisas, como alecrim, e mudamos muitas áreas que estavam deterioradas. Ficou um espaço legal”, pontuou.

A conferência também contou com duas palestras sobre o meio ambiente. Uma foi ministrada pelo professor Fabio de Melo Rezende, da Universidade Federal de Sergipe, que falou sobre Gerenciamento de Resíduos Sólidos. A outra com o tema “Pensar, Usar e Conservar: Água e Energia”, apresentada pelo professor Glauber Epifânio Loureiro, da Universidade do Estado do Pará, uma forma de sensibilizar a sociedade em relação ao consumo desperdício de água e energia.  “Em momentos como esse é importante refletir sobre nossas ações e ter atitudes mais proativas com relação ao meio ambiente”, concluiu.

O presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente Jorge Bichara avaliou que conferência cumpriu seus objetivos. “Pudemos transmitir o que pensamos sobre sustentabilidade e convivência com meio ambiente na nossa cidade. A reposta da população foi boa e os assuntos foram colocados com presença do público”.

Falando em Comam, durante a tarde foi realizada a eleição para o Conselho Municipal de Meio Ambiente.

Texto: Osvaldo Henriques

Fotos: Hilton Rodrigues

 

 

ACESSIBILIDADE
X