Meio Ambiente: Prefeitura inicia projeto de horta comunitária nas escolas

A Prefeitura de Marabá iniciou um projeto de hortas comunitárias nas escolas. A Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri) é responsável pela implantação das hortas, que é mais um passo da Agenda Ambiental da Escola Pública, do Departamento de Educação Ambiental
(DEA), vinculado à Secretaria municipal de Meio Ambiente (Semma) e a Secretaria Municipal de Educação (Semed). A ideia é inserir hortas comunitárias nas escolas do município, para que sirvam tanto como fonte de alimento orgânico, quanto para educação ambiental dos
alunos.

A primeira escola a receber a horta comunitária foi a escola José Flávio Alves, localizada no Bairro Araguaia, nesta quarta-feira (04). A escolha se deu devido a escola já possuir um espaço produzido pelos próprios funcionários e alunos. A Secretaria de Agricultura (Seagri) fez a revitalização da horta na escola.

O diretor da Escola José Flavio Lima, Antônio Wagner Lopes da Silva, destaca a importância da horta na vida no dia a dia da escola e da vida dos alunos. “Torna a parte técnica mais palpável. Os alunos vêm periodicamente. Mês que vem teremos feira de ciências e os professores utilizam o espaço de acordo com seu plano de aula”, comenta.

O projeto prevê a formação de 15 ‘mini ambientalistas’ em cada escola. “A ideia é que se trabalhe com compostagem e plantio de mudas, com a arborização das escolas. Visamos reduzir custos, pois são coisas que poderão ser utilizadas na merenda escolar. Educar os alunos sobre diminuir a produção de lixo e a importância de cultivar o orgânico. Ou seja, formar ambientalista para reduzir nosso impacto ambiental negativo”, comenta Tamires Ribeiro, bióloga do DEA.

Os 15 alunos são escolhidos de acordo seu desempenho escolar. Para o critério são utilizados dois aspectos diferentes. “A seleção é feita pelos professores. A ideia é que se selecionem os que mais se destacam e misturar com os que apresentam maior desinteresse ou dificuldade na sala de aula. Usaremos isso como forma de motivar e levar outras visões de mundo as crianças”, acrescenta.

Inicialmente a ideia é a inserção das hortas em oito escolas, José Flávio Alves, Pequeno Príncipe, Anísio Teixeira, Walquise Viana, Julieta Gomes Leitão, Joel Pereira Cunha, Pedro Peres, Isaura Noceti. “O plano é estendermos mais no futuro. Inicialmente seriam sete escolas, mas a Escola Joel Pereira demonstrou interesse e decidimos acrescenta-la também”, conta Tamires Ribeiro.

As hortaliças são o principal plantio da horta, como cebolinha, alface, couve, rúcula coentro do Pará. Ela conta ai com um canteiro medicinal, aonde é plantado boldo, hortelã, nimesulida, babosa, capim santo e mastruz. A merendeira, Ana Rosa Silva Conceição, conta que muitos produtos são utilizados nas merendas e até para fazer chás. “Utilizamos o que temos ai de acordo com a necessidade. Os alunos gostam tanto de participar quanto de comer”, destaca.

O aluno Marcos José do 7º ano conta que é uma experiência muito produtiva. “Eu gosto de vir aqui, de mexer nas plantas. Aprendemos bastante coisa. É muito divertido e interessante”, conclui.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio

ACESSIBILIDADE
X