Meio Ambiente: Semma instala placas de conscientização e alerta a população

O Departamento de Educação Ambiental (DEA) da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma), em parceria com a Secretaria de Viação e Obras Públicas (Sevop), começou nesta sexta-feira (4) a instalação de 64 placas de sinalização ambiental no município. As placas buscam informar e alertar a população sobre os riscos e consequências de se derrubar, cortar ou podar árvores da cidade.

A coordenadora do DEA, Socorro Medeiros, explica que para podar uma árvore é necessária a autorização da Semma. “Não façam isso, é proibido, existe uma penalidade e uma lei que cobre isso”, destaca. Ela também ressalta a importância da arborização para o meio ambiente e para estética da cidade. “É uma conscientização para população não descascar as árvores porque danifica a árvore e o meio ambiente. Conservar as árvores melhora o ar que respiramos e embeleza a cidade”, completa.

A instalação da primeira placa, localizada na Rodovia Transamazônica, em frente ao Hemopa, contou o apoio do Exército Brasileiro, do Instituto Nacional de Vigilância Ambiental (Indeva), do Conselho Municipal do Meio Ambiente (COMAM) e dos alunos do 5º ano da Escola Basílio Miguel.

Os alunos assistiram a duas palestras, uma sobre a legislação e uma sobre a importância da arborização. Victor Rodrigues, 10 anos, destaca a importância do ato. “Achei muito interessante e importante para sociedade.  As palestras estão nos dando um puxão de orelha praticamente. Aprendi coisas que não sabia, como a lei, que não pode derrubar árvores sem autorização da Prefeitura, que a árvore traz oxigênio pra gente, são moradias pros animais, dão frutos e que árvores também crescem e se reproduzem”, comenta Victor.

Segundo a lei 16.885/2002 – art.25 os infratores de normas municipais do meio ambiente estão sujeitos a penalidades que incluem advertência por escrito através de notificação e aplicação de multa. “Aprendi que temos que ter conscientização sobre o meio ambiente, não poluir e cuidar mais e melhor das nossas árvores. Podemos até pagar multa de 50 reais até 50 milhões se maltratarmos as árvores”, complementa a jovem Alessandra de Carvalho Medeiros, 10 anos.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Paulo Sérgio

ACESSIBILIDADE
X