Obras: Painel artístico contempla relação com rios de Marabá em nova área revitalizada

(17 de abril de 2019)

É quase impossível passar pela Rodovia Transamazônica, próximo à Delegacia da Polícia Rodoviária Federal, sem notar o painel. A pintura faz parte de um projeto de revitalização da área perto do Hemocentro do Pará, que antes estava praticamente abandonado.

 

 

 

 

 

 

 

O painel, com cerca de 50 metros de extensão, é dividido em 11 quadros que abordam o homem e a natureza da Amazônia, especificamente da região de Marabá. De acordo com o criador do painel, o artista visual marabaense Bino Souza, a intensão é mostrar a relação das lavadeiras e pescadores com os rios Tocantins e Itacaiunas.

“Na verdade, são vários painéis contando a história dos rios com a população. Imaginamos as pessoas que usam o rio como trabalho, as lavadeiras, os pescadores e, claro, a vida de quem depende do rio. Foi uma homenagem aos rios Tocantins e Itacaiunas, pois, acreditamos que a vida nasce das águas, e em Marabá é impossível contar a história da cidade sem levar em consideração a sua relação com os rios”, disse o artista plástico.

 

 

 

 

 

 

Bino Sousa contou com a parceria do artista visual Nathanael Marques, para a confecção do imenso painel que levou quase uma semana para ser completamente produzido. A produção faz parte do projeto de revitalização do espaço próximo ao Hemopa, que começou há dois. Um amplo estacionamento foi construído, área verde e iluminação. Quem passa pelo local logo nota a diferença.

“É maravilhoso tudo isso, é de uma criatividade sem tamanho, aqui estava abandonado, feio e hoje a gente olha e diz ‘meus Deus, que coisa tão linda!’ Só temos que parabenizar porque a gente vê um olhar carinhoso com a cidade em vários detalhes e aqui retrata um pouco a história da cidade”, destacou a enfermeira Eliane Moreira.

 

 

 

 

 

 

A estudante Tayline Alves, também se impressionou com tamanho do painel. “Achei legal, muito bonito, coisa linda essas imagens, elas lembram muito a natureza e se identifica muito com a cidade”, disse a jovem.

 

 

 

 

 

 

Texto: Victor Haôr

Fotos: Paulo Sérgio dos Santos