Obras: Vila São José recebe projeto de pavimentação e revitalização

(8 de dezembro de 2020)

A movimentação das máquinas na Vila São José, no Km 08 da Rodovia Transamazônica, sentido município de Itupiranga, anuncia a concretização de mais um sonho dos moradores: a chegada do asfalto CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente), após a drenagem profunda e terraplenagem em quatro ruas. A pavimentação encerra hoje (08), na sequencia será iniciada a colocação de meio-fio, calçadas e sarjeta.

Dentre as ruas contempladas estão a Marechal Deodoro, a Principal e a rua que dá acesso às escolas públicas. Ao todo, foram realizados um quilômetro de drenagem e cerca de um quilômetro e meio de asfalto, somente na Vila São José, inclusive nas pistas de um lado e outro da rodovia, acabando de vez com a poeira e a lama que prejudicava a população.

Daniel Franco Júnior, proprietário da construtora responsável pela execução das obras, destaca que o projeto da Prefeitura é transformar a localidade, garantindo, inclusive, uma melhor apresentação de Marabá, para quem acessar a cidade pela Rodovia Transamazônica, naquele sentido. “Vai pavimentar toda essa circunferência aqui do Km 08. E o mais legal é que o prefeito mandou fazer uma alteração no projeto contemplando também a urbanização, com estacionamento, parada de ônibus, calçada e jardinagem. Então quem entrar na cidade já vai ver uma vila bem organizada e bonita, porque vai ser dos dois lados da rodovia”, informa.

Daniel Franco Jr.

Repercussão

Quem acompanha a obra com expectativa é Dona Luísa da Silva Chagas. Dos 63 anos de vida, mais de 40 são residindo na vila. Durante todo esse tempo, ela conta que antes nunca tinha visto uma placa com anúncio de obras no local. Ao ver as máquinas trabalhando, teve as esperanças renovadas. “Quando botaram a placa ali eu pensei assim: ‘será que esse ano sai?’ Aí quando eu vi as máquinas trabalhando, do jeito que agora, eu disse ‘parece que vai sair mesmo’. O sentimento é de avanço para nossa vila. Com a pavimentação, a gente vai ter mais chance de ter outras coisas. Meu marido faleceu e não viu o asfalto. Quando vejo as máquinas trabalhando lembro dele, mas muito feliz em ver”, comenta a comerciante.

Luísa da Silva Chagas

Rogério Ferreira, de 31 anos, mora e trabalha na rua principal da vila, onde mantém uma oficina mecânica de moto. O mecânico está feliz com o serviço realizado, que para ele, é sinônimo de desenvolvimento e progresso. “A comunidade de uma forma em geral está alegre porque viveu um tempo de atraso. No verão era poeira e no inverno era lama. E a gente vê a comunidade toda com um semblante diferente vendo o progresso chegar na nossa comunidade. Acreditamos que nossas casas vão valorizar nossa comunidade, porque o progresso chegou às nossas portas”, enfatiza.

Rogério Ferreira

A comerciante Antônia Silva, moradora da vila há oito anos não se conteve de alegria e resolveu soltar fogos de artifício quando foi iniciada a pavimentação. “Acabou o tempo da poeira em nossa vila, aqui todo dia tinha de limpar tudo e eu sabia que um dia essa obra iria chegar e chegou, soltei 8 caixas de fogos e já tem 10 caixas guardadas para queimar no final da obra”, disse contente dona Antônia.

Antônia Silva

As obras executadas na Vila São José fazem parte de um pacote de drenagem e pavimentação, que beneficia também as Folhas 22, 27 e 28, orçadas no valor de R$ 5.968.849,97, oriundos de financiamento do Banco do Brasil.

Texto: Leydiane Silva e Victor Haôr
Fotos: Aline Nascimento, Paulo Sérgio e Divulgação

Veja outras fotos: