Saúde: CCZ promove ações para combate ao mosquito transmissor da leishmaniose

0

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenação de Endemias e Vigilância Ambiental e do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), tem envidado esforços no sentido de combater o mosquito transmissor da leishmaniose visceral, com redução de casos em humanos.

Segundo Amadeu Moreira, coordenador de Endemias e Vigilância Ambiental, está em fase de conclusão um estudo entomológico do mosquito palha, transmissor do protozoário da leishmaniose, que servirá de base para futuras ações de eliminação do inseto, a partir dos pontos mais infestados.

Existem diversas ações em curso no que tange a orientação de moradores sobre pocilgas e galinheiros e manejo ambiental (limpeza), o que tem reduzido a proliferação do mosquito em alguns pontos da cidade. Amadeu cita como exemplo o Bairro Francisco Coelho, que agora teve menor infestação desse mosquito em relação a levantamentos anteriores.

Da parte do CCZ, o veterinário Nagilvan Amoury garante que, este ano, houve alguns avanços, indo além das ações rotineiras como testes rápidos e distribuição de repelentes; somaram-se a essas rotinas, a castração e histerectomia em cães e gatos, realizadas desde o mês de abril. No decorrer destes sete meses, cerca de 800 cirurgias foram realizadas. A continuidade desse serviço influenciará diretamente no controle populacional dos animais, incluindo a redução de nascimentos indesejáveis e, consequentemente, menos animais de rua.

As cirurgias, cerca de 20 por semana, acontecem às sextas-feiras e domingos, com agendamento prévio. Hoje, a fila de espera é suficiente para até o fim do ano.Texto: João Batista
Foto: Arquivo 

Nenhum Comentário

ACESSIBILIDADE