Saúde: Centro de Especialidades Integradas retoma atendimento pediátrico

Na segunda-feira (14), o serviço de pediatria do Centro de Especialidades Integradas (CEI) voltou a funcionar, por enquanto apenas no período matutino, das 8h às 12h, e com apenas 50% da capacidade para evitar aglomerações. Esse tipo de atendimento estava suspenso desde março devido à pandemia do novo coronavírus. O CEI conta atualmente com três pediatras.

O atendimento pediátrico exclusivo pela manhã se dá porque o CEI continua recebendo os pacientes com sintomas leves de covid-19, n no período da tarde. “Fazemos a higienização do prédio no período do almoço, para que a tarde possamos atender a essa outra demanda com toda segurança”, comenta Fabio Lima, coordenador do centro. O prédio também faz a entrega de medicamentos para pessoas em tratamento da covid-19, de acordo com indicação médica.

As outras especialidades atendidas pelo Centro seguiram funcionando durante todo período de quarentena, porém em caráter reduzido, entre elas: Cardiologia, Urologia, Psiquiatria, Psicologia, Nutrição, Neurologia, Imunologia, Oncologia, Ginecologia de alto risco, Dermatologia, Reumatologia, Medicina de Cabeça e Pescoço, Ortopedia e Otorrinolaringologia. Além do serviço de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e Regulação.

Vale lembrar que para ter acesso a uma consulta no Centro de Especialidades Integradas, o paciente tem que ser encaminhado pela Atenção Primária, ou seja, o paciente procura a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa, faz a consulta com o médico, que fará o encaminhamento para o CEI, de acordo com a necessidade observada. Esse protocolo é válido inclusive para os serviços de pediatria.

“Os principais casos atendidos pelo serviço de pediatria do CEI são de crianças com problema no coração, problemas neurológicos, com vários tipos de alergia, respiratória e alimentar, principalmente a da proteína do leite animal. Casos mais complexos que a rede básica não consegue fazer”, ressalta a pediatra do CEI, Claudia Dizioli.

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Arquivo

Acessibilidade