Saúde: Crianças e idosos devem redobrar cuidado com doenças respiratórias neste período

O médico Allan Rodrigues orienta que as principais medidas para evitar contrair as doenças deste período seco é se manter bem hidratado e com alimentação em dia

Nesta quinta-feira (13), a dona de casa Gerlândia Batista do Nascimento levou a filha Maria Luísa de 6 meses à Unidade Básica de Saúde Mariana Moraes, no Km-07, apresentando problemas respiratórios.

Nas últimas semanas, o registro de queimadas no município aumentou, e mesmo com o trabalho intenso de fiscalização, conscientização e orientação da SEMMA (Secretaria Municipal de Maio Ambiente) ainda são fortes os indícios de focos de incêndio na região.

“A gente tenta fazer o possível. Fechar a casa, deixar o quarto sempre fechado, mas é muito difícil, pois é ruim para as crianças respirarem, pra elas tudo é muito forte. Se pra gente adulto já é difícil, imagine para as crianças?” Lamenta.

O resultado disso tudo é o aumento no número de pacientes que procuram as Unidades de Saúde todos os dias reclamando de problemas respiratórios. De acordo com o médico Allan Rodrigues, que atende na UBS Mariana Moraes, neste período de seca que atinge a região, os mais prejudicados são crianças e os idosos. “As crianças porque estão começando a ganhar a imunidade e os idosos estão perdendo essa imunidade”, explica.

Segundo o médico, a maior queixa neste período são as infecções das vias aéreas respiratórias. “Nas crianças é comum a gripe e nos adultos casos de pneumonia que tendem a aumentar os níveis de registro dessa doença”, aponta.

Allan Rodrigues orienta que as principais medidas a serem tomadas para evitar contrair as doenças deste período seco é estar com a alimentação em dia e beber bastante água para se manter sempre bem hidratado, aumentando a imunidade.

A enfermeira Diane Freitas, que atende na UBS Mariana Moraes, conta que aumentou de forma significativa a quantidade de crianças com problemas respiratórios, sendo as principais queixas a tosse e falta de ar. Segundo ela, em crianças com quadro de asma e bronquite os casos são mais frequentes. “Os cuidados com as crianças em relação a fumaça é hidratar sempre as crianças, procurar medidas que melhorem o ambiente onde a criança vive”, finaliza.

Texto: Victor Haôr
Imagens: Sérgio Silva

ACESSIBILIDADE
X