Saúde: Equipe Extramuro realizou mais de 1200 atendimentos em abrigos

O Departamento de Atenção Básica (DAB), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até esta segunda-feira (30) já atendeu nove dos quinze abrigos oficiais mantidos pela Prefeitura de Marabá, totalizando 1.219 atendimentos às famílias atingidas pela cheia dos rios Tocantins e Itacaiunas, inclusive na Vila Carrapato.

A previsão é de que no máximo até o fim da próxima semana todos os abrigos tenham sido assistidos pela equipe Extramuro, com atendimentos de saúde. As ações incluem consultas com o clínico geral e enfermeiros, vacinas, aferição de pressão, testes rápidos de HIV, Sífilis, Hepatite B e C, além da emissão do cartão SUS e distribuição de medicação mediante a receita médica.

Foram feitos 181 atendimentos nos abrigos da Obra Kolping; 109 no Tatuzão; 166 na Folha 14; 147 na Folha 33; 126 no galpão da Folha 32; 171 no abrigo na Vila Carrapato; 141 no galpão do bairro Bom Planalto; 63 na Feirinha e 178 no abrigo da Colônia Z-30.

Cynthia Pombo, coordenadora do Extramuro

“Os atendimentos não são voltados somente aos idosos ou crianças, mas também aos pais dessas crianças, a toda família, caso seja necessário”, enfatiza Cynthia Pombo, coordenadora do Extramuro da SMS.

Ainda de acordo com a coordenadora Cynthia, em parceria com a Defesa Civil, a SMS desenvolveu um cronograma especial para atender os desabrigados. “A Defesa Civil nos passou o quantitativo de abrigos e famílias e então montamos um cronograma de atendimentos. Nós contamos com a parceria dos Centros de Saúde que disponibiliza os profissionais, por isso, a gente também depende da disponibilidade dos médicos que continuam atendendo nas UBS. Queremos encerrar o atendimento no próximo sábado”, esclarece Cynthia.

Juliana da Silva recebeu atendimento

Juliana da Silva Carvalho faz parte dos abrigados no Galpão da Folha 32, onde ação aconteceu nesta sexta-feira à tarde. Ela aproveitou o momento para cuidar dos cinco filhos e da própria saúde.

“Tem muita gente com a garganta inflamada, gripada, tá com coceira, então acho super importante esse trabalho que eles estão fazendo aqui. E tem remédio, não trouxeram só os médicos não. Eu me consultei e vou consultar as meninas”, disse a dona de casa.

Dona Manara Santos foi atendida e saiu com medicação

A dona Manara Santos também estava satisfeita com o atendimento. A mulher de 41 anos, é diabética e hipertensa, por isso, deve manter cuidados redobrados com a saúde. Foi a primeira da família a se consultar com o médico. Ela está abrigada na Folha 32 com o esposo, dois filhos e três netos.

“Chegou em boa hora. Tem muita gente doente. Graças a Deus chegou o atendimento. Minha pressão estava a 16. Eu me consultei, peguei medicamento e a família toda vai consultar, só estão aguardando a vez”, comentou ela.

Veja mais fotos:

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Paulo Sérgio

Acessibilidade