Saúde: Passeio ciclístico e ação itinerante marcam a abertura de Dezembro Vermelho

(7 de dezembro de 2020)

Nas primeiras horas da manhã de domingo (06), ciclistas lotaram as ruas da Nova Marabá e Marabá Pioneira para levantar a bandeira da luta contra a AIDS e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). O lema do passeio ciclístico foi “Todos na luta contra AIDS”, a ação teve como objetivo chamar a atenção para importância da prevenção e diagnóstico precoce dessas doenças, bem como combater o preconceito.

Em Marabá, o passeio ciclístico, realizado pela Prefeitura de Marabá por meio do Centro de Testagem e Aconselhamento / Serviço de Atendimento Especializado (CTA/SAE), abriu oficialmente a campanha Dezembro Vermelho. O percurso foi de 15 quilômetros, com a largada às 6h30, da Praça da Prefeitura, passando pelas Folha 29 e 17, Hospital Municipal, Transmangueira até a Praça São Félix, onde os ciclistas tiveram aulas de ritmos, antes do coffee break.

Após as atividades físicas, o CTA/SAE premiou os participantes do passeio com um certificado de agradecimento. “É para reconhecer as pessoas que de fato levantaram a bandeira, no sentido de sensibilizar outras pessoas. De serem multiplicadores na importância de trabalhar a prevenção” enfatiza Katiane Chaves, gerente do CTA/SAE.

Participantes
Jaciara Cabral, coordenadora do grupo Maravilhosas do Pedal, que ajudou na organização, avaliou positivamente “porque simboliza a importância do esporte para a prevenção de muitas doenças e do controle da Aids já que o esporte ajuda a aumentar nossa imunidade. Este já é o quarto passeio ciclístico que estamos fazendo com ações sociais”.

Jaciara Cabral

A pedagoga Ana Maria Freitas, de 60 anos, é integrante da equipe Maravilhosas do Pedal há oito meses. Com disposição em alta, a ciclista fez questão de defender a causa do Dezembro Vermelho pedalando. “É um incentivo, qualidade de vida, superação, determinação. Eu defendo essa causa porque a prevenção é o melhor remédio. E a luta contra a Aids é uma causa nossa”, afirma.

Ana Maria Freitas

Hebert Moura, que participa de um grupo de ciclismo da Folha 10, acredita que o alerta para a prevenção e cuidados com o HIV/Aids é essencial para a saúde. “O percurso foi muito bom. Além da gente pedalando, estamos levando a conscientização de uma causa tão importante que é a luta contra a Aids”, enfatizou o universitário.

Hebert Moura

Ação itinerante no Bairro Liberdade
Equipes de testagem e aconselhamento atuaram no sábado (05), na Praça da Liberdade, na primeira ação itinerante, que faz parte do Dezembro Vermelho. De acordo com Katiane Chaves, gerente do CTA/SAE, 472 testes rápidos foram realizados, sendo que cinco pessoas testaram positivo para a sífilis, sem ocorrências de pessoas com HIV. Além dos testes rápidos para sífilis, Hepatite B e C, e HIV, houve distribuição de preservativos. “É importante que a pessoa identifique o seu estado sorológico para, se caso reagente, iniciar o tratamento. O HIV/Aids não tem cura, mas tem tratamento, então a gente chama atenção, priorizando sempre a prevenção, o uso do preservativo, mas a testagem faz parte desse leque de processos de prevenção”, enfatiza.

Durante a ação, os idosos deram exemplo de cuidado com a saúde, foram os primeiros a comparecerem para as testagens. O que deixa os profissionais do CTA/SAE confiantes nos resultados das ações, principalmente porque um dos vieses da campanha é quebrar tabus e o preconceito em relação à busca pelo diagnóstico e tratamento. “As pessoas relacionam as pessoas idosas a não ter a vida sexual ativa e isso é um dos mitos que permeiam a sociedade em geral, mas é um público muito importante, não só os adolescentes, jovens. É importante que as pessoas busquem de fato verificar seu estado sorológico” destaca Katiane.

Katiane Chaves, gerente CTA/SAE

Repercussão
Dona Abadia Moreira, de 68 anos, moradora do Bairro Cidade Nova, procurou pelo atendimento. “Essas ações são muito boas, porque a gente fica sabendo como está a saúde da gente. As campanhas são maravilhosas”, afirma.

Abadia Moreira

Seu Luiz Batista da Silva, 68 anos, que mora no Bela Vista, participou da ação. “Isso é uma coisa boa pra fazer,?! Porque a gente se previne mais. Se cuida, é muito importante. Na praça é mais fácil, mais ventilado. Tem muita gente por aí doente, que não se cuida”, alerta o aposentado.

Luiz Batista

Já Israel Pinheiro, de 32 anos, ressalta a facilidade que ações itinerantes proporcionam. “É importante porque a gente sabendo, se previne e procura os órgãos que fazem o atendimento. Eu tinha feito no carnaval, mas tem dois anos ou mais. Se não tivesse a ação aqui eu não teria feito”, reconhece o mototaxista.

Israel Pinheiro

Programação
As próxima ações itinerantes do CTA/SAE acontecem nos 12 e 13, no Terminal Rodoviário do km 06. Durante a semana, o atendimento funciona normalmente no CTA/SAE, na Velha Marabá. Devido à pandemia do novo coronavírus, o número de atendimentos por dia reduziu de 70 para 50. As senhas são entregues às 7 horas, de segunda à sexta-feira.

Os atendimentos ofertados são consulta ambulatorial, realização de exames (HIV, Sífilis, Hepatites Virais, entre outras), carga viral e dispensação médica e distribuição de preservativos.

Dados CTA
Atualmente, o CTA/SAE conta com cerca de 3 mil pessoas cadastradas no programa HIV/Aids. Os pacientes são de Marabá e de municípios vizinhos, já que a cidade é referência no serviço. Dados coletados pelo centro revelam que entre janeiro e outubro de 2020 foram identificados 200 casos novos. A infecção ainda predomina no sexo masculino, um total de 123 registros, sendo 69 de Marabá. Quanto às mulheres, há 39 novos casos somente do município.

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Aline Nascimento 

Veja outras fotos: