Saúde: Programa de Planejamento familiar atende em média 600 pessoas por mês

Desde 2007 o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o Planejamento Familiar, que é formado por um conjunto de ações no sentido de auxiliar a quem pretende ter uma família compatível com as condições. Na Unidade Básica de Saúde (UBS) Amadeu Vivacqua, no bairro São Félix, cerca de 370 pessoas participam desse programa de controle de reprodução humana.

De acordo com Hildenira Pereira de Miranda, gerente da UBS Amadeu Vivacqua, o Planejamento Familiar auxilia não só as pessoas que pretendem ter filhos, mas também aquelas que preferem adiar o crescimento da família. Previne ainda a gravidez não planejada, as gestações de alto risco e proporciona maior intervalo entre os partos, o que resulta em melhor qualidade de vida ao casal, que terá somente o número de filhos que planejou.

Toda mulher e homem em idade fértil, com vida sexual ativa, tem acesso a essas metodologias anticoncepcionais e contraceptivos na UBS. Para participar do grupo, basta fazer a inscrição no programa de planejamento familiar e acompanhar o fluxo de atendimento, que inicia com reuniões mensais.

 

 

 

 

 

 

 

Ainda segundo Hildenira, a demanda é espontânea e acontece duas vezes ao mês. Inicialmente as pessoas participam de uma palestra e roda de conversa com uma enfermeira, que oferece algumas opções como a hormonal, laqueadura, vasectomia, DIU ou diafragma. Os participantes optam por um dos caminhos, por exemplo, se uma pessoa escolher o uso de hormônios, será encaminhada para consulta com um médico e nos meses subsequentes retorna para acompanhamento e continuidade da assistência na UBS. Caso prefira por laqueadura, vasectomia, DIU ou diafragma, o interessado será encaminhado para a regulação da própria UBS, que agendará a consulta no Crismu – Centro de Referência Integrado à Saúde da Mulher – para orientação mais específica com equipe multiprofissional. Depois do procedimento, segue o acompanhamento na unidade básica de origem.

Conforme Mônica Borchart Nicolau, diretora da Atenção Básica na Secretaria Municipal de Saúde, o Planejamento Familiar está hoje em todas as UBS de Marabá, atendendo em média 600 pessoa por mês, grande maioria mulheres. Em março deste ano, o público chegou a 1.200 pessoas atendidas no programa em toda a rede.

Em 2006, pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde (MS) revelou que 46% das gravidezes não são planejadas. Por isso, controlar a fertilidade é o primeiro passo para planejar o momento mais adequado de ter filhos. Ainda, segundo o MS, a ampliação do acesso aos métodos contraceptivos na rede pública e nas drogarias conveniadas do programa “Aqui Tem Farmácia Popular” trouxe outro resultado positivo: a incidência de gravidez na adolescência (de 10 a 19 anos de idade) diminuiu 20% entre 2003 e 2009.

Texto: João Batista 

 

ACESSIBILIDADE
X