Saúde: Serviço odontológico segue com atendimento a casos de urgência

Os consultórios odontológicos da Rede contam com estrutura, insumos e equipamentos para garantir o atendimento à população.

A população de Marabá continua contando com o serviço odontológico na rede municipal de saúde durante a pandemia do novo coronavírus, porém com restrições, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde. O atendimento está restrito aos casos de urgência e emergência para evitar a propagação do vírus. Além disso, os profissionais também estão atuando na educação, orientação e triagem para os atendimentos odontológicos.

Todos os procedimentos de urgência estão sendo realizados em oito Unidades Básicas de Saúde (UBS). São casos como abscesso dentário (processo inflamatório), dores e sangramento, como explica a cirurgiã-dentista Mônica Veloso, responsável técnica da Saúde Bucal da SMS.

“Em nenhum momento parou o atendimento, mas estamos restritos às urgências porque assim é a orientação das normativas técnicas do Ministério da Saúde. Então até o momento em que a recomendação do ministério for para evitar o atendimento eletivo, vamos atender somente àquela situação que não pode ser protelada”, explica a cirurgiã-dentista.

Mônica Veloso, responsável técnica da Saúde Bucal da SMS

Patrício Lima, de 32 anos, buscou atendimento na UBS das Laranjeiras, na tarde desta terça-feira (21), por causa de um desconforto após um procedimento feito na rede particular.

“Senti certo desconforto no siso que extraí e vim aqui procurar fazer uma avaliação com o buco-maxilo. O que me trouxe aqui foi a confiança, as referências dos bons profissionais. Tem sido referência não só pra mim, mas para muitas pessoas”, comentou o servidor público estadual.

Servidor público Patrício Lima

Seu Raimundo Nonato Souza, 71 anos, também precisou de atendimento odontológico urgente. Ele fez uma extração há 8 dias e retornou para retirada dos pontos.

“O atendimento foi ótimo. Se não tivesse o atendimento aqui no postinho eu teria de ir para outro lugar, porque o tratamento é muito caro”, comenta o aposentado.

Raimundo Nonato Souza, 71 anos realizou procedimento de retirada de pontos

A Rede Municipal de Saúde conta com 22 odontólogos trabalhando na assistência direta da comunidade. Em tempos normais, o serviço contempla atendimentos básicos (restauração, extração, limpeza), além dos atendimentos especializados como endodontia, periodontia, próteses dentárias e cirurgia bucomaxilo facial, inclusive com procedimentos feitos no Hospital Municipal para os casos cirúrgicos mais complexos. A UBS das Laranjeiras tem concentrado a maior parte dos atendimentos especializados, informa a coordenação da Saúde Bucal.

Os consultórios odontológicos da rede contam com estrutura, insumos e equipamentos para garantir o atendimento à população. O cirurgião-dentista Jorge Alberto Fonseca, que trabalha na rede há 23 anos, disse que se sente bem assistido e amparado como profissional, atuando na Estratégia da Família, na UBS João Batista Bezerra.

“Temos as melhores resinas, temos os materiais excelentes, equipamentos de ponta, nós temos, por exemplo, jato de bicarbonato em ultrassom, aparelho de raio-x, que você não encontra em todos os consultórios particulares e na rede você encontra”, destaca o profissional que espera ansioso pelo fim da pandemia e a chegada da vacina para o retorno da rotina normal.

Cirurgião dentista Jorge Alberto Fonseca, trabalha na rede há 23 anos

Mônica Borchat, coordenadora do Departamento de Atenção Básica (DAB), esclarece que além das 8 UBS, em funcionamento atualmente, existem consultórios sendo reformados e construídos. É o caso do Jaime Pinto, no Belo Horizonte, no Bairro da Paz e a UBS Bico Doce em São Félix. Já a UBS do Bairro Araguaia está com consultório pronto para ser entregue, logo na inauguração do posto.

“É um grande benefício que a gente tenha, já trabalhando ampliado a órtese e prótese. Os atendimentos odontológicos no presídio. Temos todos os insumos. A todo o momento a gente troca e organiza equipamentos. Faz muito tempo que não temos falta de material. Fazemos atendimentos fora das unidades. Temos programa do PSE e a gente vai aos colégios ensinar todo o processo e faz avaliação das crianças e quando necessário encaminha para as UBS”, esclarece a diretora.

Mônica Borchat coordenadora do DAB

UBS em atendimento urgente neste período:

Emerson Caselli, no bairro Liberdade;
Carlos Barreto, Morada Nova;
Mariana Moraes, Km-07
Crismu, Folha 33;
Enfermeira Zezinha, Folha 23;
USF João Batista Bezerra, Santa Rosa e
Hiroshi Matsuda, Folha 11.

Veja mais fotos:

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Paulo Sérgio

Acessibilidade