Saúde: Sespa mantém abastecimento normal de medicamentos no município

O HMM e as Unidades Básicas de Saúde não estão com falta de medicamentos, nem de insumos para combater a covid-19 causada pelo novo coronavírus

O Centro de Abastecimento Farmacêutico (CAF), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), responsável pelo abastecimento do Hospital Municipal de Marabá (HMM), Hospital Materno Infantil (HMI), e de todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), está com fluxo de recebimento normal de medicamentos contra o novo coronavírus (covid-19) por parte da Secretaria do Estado do Pará (Sespa) até o momento. Assim como todos os insumos hospitalares para internação e intubação, se necessário. A Prefeitura também já providencia contrapartida financeira e já mantinha estoque de alguns medicamentos antes da pandemia, como Azitromicina.

Conforme Lucilia Lima Azevedo, responsável pelos produtos farmacêuticos do CAF, em Marabá, desde o lançamento da nota técnica estadual número 5, que fala sobre a disponibilização dos medicamentos para tratar a covid-19, a coordenação da Assistência Farmacêutica de Belém do DEAF (Departamento de Assistência Farmacêutica) comunicou a necessidade de preenchimento solicitando o quantitativo de medicamentos, a fim de manter o abastecimento a nível hospitalar do município.

“Foi preenchido o formulário mostrando a necessidade de acordo com cada hospital, uma vez que, a quantidade de medicamentos enviada é conforme o número de leitos e pelo percentual de pessoas atendidas”, explica Lucilia Lima.

REPASSES

Foram repassadas, por seu turno, de Belém para o CAF, as medicações Azitromicina e Hidroxicloroquina, tanto para o HMI, quanto para o HMM. No último dia 17 de abril,  264 comprimidos de Azitromicina e Hidroxicloroquina foram enviadas para o HMM. Já para o HMI foram 48 comprimidos de Azitromicina e 30 comprimidos de Hidroxicloroquina.

Segundo a farmacêutica, antes de findar o estoque foi refeita a solicitação, no último dia 23 de abril. Tendo a Sespa repassado novamente para o município, no mesmo dia 23, 180 comprimidos de Azitromicina e Hidroxicloroquina para o HMM, e 60 comprimidos de Azitromicina e a mesma quantidade para Hidroxicloroquina para o HMI.

Na segunda-feira, dia 4 de maio, aconteceu a terceira solicitação para Belém de reabastecimento do DEAF para o HMM. A informação repassada para Lucilia foi de descentralização para a Sespa de Marabá. “Preenchemos os documentos da nota técnica número 5, com solicitações. A Sespa nos atendeu, desta feita, com 600 comprimidos de Azitromicina e 360 de Hidroxicloroquina”, esclarece a farmacêutica, complementando que atualmente o estoque é de 27 mil comprimidos de Azitromicina, porque a Prefeitura já mantinha estoque do produto antes da pandemia.

A Sespa informou que o município tem de dar a contrapartida, ao que o CAF já está providenciando. Atualmente, o fluxo de fornecimento de medicação é contínuo. “Não deixamos findar o estoque, já solicitamos a reposição junto à Sespa, para enviar aos hospitais, a fim de deixá-los abastecidos, principalmente HMM onde o fluxo maior”, lembra.

Quanto à nota técnica número 6, que trata do atendimento ambulatorial, Lucilia destaca que, em conversa com a coordenação estadual, na segunda-feira (4), foi despachado de Belém para a regional da Sespa em Marabá, tratamento para 338 pessoas. A Sespa fará a divisão para os 21 municípios, os quais são subordinados à ela.

“Estamos aguardando o posicionamento com a Sespa, a distribuição será feita para que seja montado o fluxo de atendimento ambulatorial do município. Porém, já foi feito uma solicitação de despesa para que o município entre com a contrapartida, demandando para o setor de compras da SMS, para que seja licitado em caráter emergencial os medicamentos usados na pandemia da covid-19: são eles a Hidroxicloroquina, a cloroquina, Azitromicina e Tamiflur”, revela, ressaltando que a medicação Tamiflur está em falta na Sespa, onde estão aguardando abastecimento, pois é também é indicada para tratamento da covid-19. A previsão é que até segunda-feira (11) comece o atendimento ambulatorial.

INTUBAÇÃO

Os insumos para intubação também não estão em falta nas unidades hospitalares. Os hospitais dispõem em estoque os tubos endotraqueais adulto e infantil e mais contratos de aquisição estão sendo providenciados. Outros insumos como laringoscópio, assim como drenos de tórax, entracates, filtro para respirador, circuito, todos os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) estão abastecidos nos hospitais, aguardando ainda mais remessa ao fim da licitação, para incrementar os serviços prestados. “Como também serviço de oxigenioterapia nos hospitais e serviço domiciliar, caso o paciente precise e não necessite de internação estamos fornecendo normalmente”, complementa a farmacêutica.

HMM

A dispensação de medicação para o tratamento da covid-19, no HMM, está sendo feita embasada na nota técnica da Sespa. O farmacêutico Wyldson Alves Guimarães, coordenador da farmácia do HMM, afirma que de acordo com a nota técnica a utilização da medicação deve acontecer em três situações.

“Primeiro, pacientes com diagnóstico confirmado da covid-19, no início dos sintomas, e após o descarte de outras enfermidades, como, por exemplo, H1N1, e outras influenzas. Número dois, pacientes com quadro definido, tosse, falta de ar, outros sintomas característicos que podem evoluir ou não para o quadro que indique internação, já o três aponta a utilização para pacientes críticos em cuidados intensivos, e que necessite de ventilação mecânica”, aborda Wyldson Alves.

O documento da Sespa deixa bem claro que os medicamentos devem ser administrados a critério médico, explicando também possíveis efeitos colaterais. Quanto à medicação Tamiflur, que vem sendo muito divulgada no tratamento da covid-19, somente será necessária se houver suspeita da infecção do vírus influenza antes do diagnóstico de infecção do novo coronavírus. “O Tamiflur foi aprovado no Brasil em janeiro de 2020 para tratamento da gripe, uma infecção provocada pelos vírus influenza em adultos e crianças com idade superior a um ano”, frisa o farmacêutico do HMM.

Conforme a necessidade, antes mesmo de findar quaisquer estoques, quer sejam de medicamentos ou insumos, a solicitação está sendo feita aos fornecedores, a fim de garantir o bem estar e saúde da população de Marabá e região.

Veja outras fotos

Texto: Emilly Coelho
Fotos: Divulgação HMM

Acessibilidade