Saúde: Vigilância Sanitária cobra mais rigor de comerciantes no combate à covid-19

(15 de dezembro de 2020)

Com a grande movimentação de pessoas no comércio, por conta das festas de fim de ano, a Vigilância Sanitária do município (DIVISA) intensifica as fiscalizações nos estabelecimentos comerciais da cidade. Apesar das orientações da DIVISA feitas desde o início da pandemia, os fiscais ainda se deparam com irregularidades, quase sempre por parte de clientes, como a falta do uso de máscara, álcool em gel e o distanciamento.

De acordo com a DIVISA, de 09 a 14 de dezembro, foram visitados 362 estabelecimentos comerciais em geral, sendo 16 notificados que estão na mira da vigilância. O coordenador da DIVISA, Daniel Soares, explica que os estabelecimentos flagrados são das mais variadas atividades (lava jato, eletrodomésticos, beleza, confecções, variedades e minimercados). “Seguindo as regras do decreto, os estabelecimentos foram orientados, a próxima fase é a notificação, aqueles que foram notificados, a próxima fase é a interdição. E aqueles que forem interditados, a próxima fase é a multa e a cassação da licença” esclarece.

Taynara Marinho, técnica da DIVISA, enfatiza que mesmo com a maior conscientização e respeito em relação à obrigatoriedade das exigências sanitárias, existe resistência por parte de algumas pessoas. Na Marabá Pioneira, por exemplo, em menos de 30 minutos de fiscalização, nesta segunda-feira (14), ao menos cinco estabelecimentos foram notificados por desobediência às normas de segurança, por parte de clientes e/ou funcionários. “Esses estabelecimentos que estão infringindo, estão sendo notificados para passarmos para as penalizações, porque orientar já orientamos bastante, estão todos cientes que não fazendo o uso da máscara o proprietário do estabelecimento comercial poderá ser penalizado, porque ele é o responsável pelo seu comércio.”, destaca.

Taynara Marinho 

Apoio das forças de segurança 

Para resguardar e garantir a ação dos fiscais, a DIVISA conta com o apoio da Guarda Municipal de Marabá (GMM), Departamento Municipal de Segurança Patrimonial (DMSP), Polícias Militar e Civil. “Estamos apoiando para evitar qualquer tipo de conflito ou outra eventualidade que possa acontecer com eles. Em alguns casos, pessoas se exaltam, não compreendem que, no momento, é preciso tomarmos algumas medidas e estamos aqui para apoiar esse trabalho. Sempre com diálogo, conversando”, pondera Gideão Nascimento, Segurança Patrimonial.

Guarda Gideão Nascimento

Repercussão 

Domingos Valério é gerente de uma loja de venda de utensílios domésticos, na Velha Marabá. Para ele, a presença da fiscalização funciona como respaldo aos comerciantes. Durante a fiscalização, uma cliente se negou a manter o distanciamento, na presença dos fiscais e foi preciso o apoio da Guarda Patrimonial. “A gente vem mantendo o álcool na porta, o distanciamento tudo demarcado ali no chão, mas o pessoal não tem colaborado. Nós estamos em cima, cobrando porque é lei né?!”, enfatiza.

Domingos

Na loja de máquinas do Edilson Amorin estava tudo correto e ele faz questão de frisar a importância das fiscalizações no controle à propagação do novo coronavírus. “ aumentando demais, a gente sabendo que tem muita gente contagiando por aí, então a fiscalização é muito boa sim” afirma.

Edilson Amorin

Naiane Gomes, funcionária de uma loja de confecções, também considera essencial a presença da fiscalização no combate ao desrespeito às normas de segurança. “É importante a fiscalização para diminuição e acabar logo com isso. Cabe a cada um de nós fazer tudo certinho para que essa tempestade na nossa vida passe o mais rápido possível”, ressalta.

Nayane Gomes

Seu Jodeon Costa, 52 anos, se sentiu seguro com a presença da fiscalização. Nas lojas que entrou observou que os protocolos vinham sendo cumpridos. “Está havendo cuidado sim. A gente vendo que as lojas estão colocando funcionários para atender com álcool, máscara, que elas estão realmente levando a sério essas medidas”, disse o cliente que é servidor público.

Jodean Costa

A multa pelo não uso de máscara corresponde a R$180,00 por pessoa que estiver sem máscara.

Balanço 

As fiscalizações da DIVISA estão sendo realizadas por 24 horas. Durante o dia, o alvo é o comércio em geral e à noite e fins de semana o foco são os bares, restaurantes e demais casas noturnas, além de balneários. Nas últimas ações, a DIVISA fiscalizou 569 estabelecimentos, dos quais 25 foram notificados, sendo 9 relacionados aos bares e restaurantes noturnos. Houve duas interdições por insistência no descumprimento das medidas de proteção.

As denúncias de irregularidades sanitárias  podem ser feitas através do telefone 3323-2020. A Vigilância Sanitária está atuando no fim de semana com três equipes, composta por três agentes cada. Além de todo o suporte da segurança municipal.

Texto: Leydiane Silva
Fotos: Aline Nascimento 

Veja outras fotos: