Seagri: Escola Família Agrícola terá sete Unidades Demonstrativas

As unidades serão utilizadas para aplicação prática do conteúdo da escola

A Secretaria de Agricultura (Seagri) está implantando sete Unidades Demonstrativas para utilização da Escola Familia Agrícola (EFA) de Marabá. As unidades serão utilizadas para aplicação prática do conteúdo da escola e como demonstrativo para os agricultores dos projetos desenvolvidos pela Prefeitura de Marabá para agricultura.

Serão criadas unidades de suinocultura, viveiro de mudas, avicultura, piscicultura, pastejo rotacionado, Sistema Agroflorestal (SAF) e a horta (produção de hortaliças). “Queremos montar uma unidade e mostrar que os projetos dão certo. Muitos agricultores ainda ficam desconfiados, têm a cabeça fechada. As unidades servirão para mostrar que funciona, está funcionando com vários produtores”, comenta Marcos Paulo Eleres, secretário adjunto de Agricultura.

A unidade do SAF já está sendo implantada e na semana seguinte começará a ser implantada a unidade de avicultura. “O SAF é um bom exemplo, às vezes o produtor quer plantar só milho e não quer utilizar o sistema, vem uma praga e acaba com a plantação. Assim vamos demonstrar para ele, em uma unidade pronta, como trabalhando do jeito certo, dará certo.”, disse.

O SAF consiste que em um hectare irá produzir milho, mandioca, abacaxi em uma parte, com a finalidade do cacau na outra. A ideia é que a combinação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas de forma simultânea ou em sequência temporal promovam benefícios econômicos e ecológicos.

Educação

A EFA fica localizada no Km 23 da Rodovia Transamazônica (BR 230), em Marabá, sentido Itupiranga. É uma área de 15 hectares voltada principalmente para os alunos do campo que aprendem disciplinas da matriz curricular comum como português, matemática, ciências, história e geografia, mas também assuntos ligados à tecnologia e à vida no campo. Aprendizados de como lidar com a terra, plantações e a criação de animais.

O modelo funciona em sistema de internato durante quinze dias. No restante do mês, os alunos retornam aos seus lares e aplicam na comunidade agrícola os conhecimentos adquiridos. O método adotado é conhecido como Pedagogia da Alternância e funciona em parceria da Seagri com a Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A ideia é que as Unidades já sirvam para que os alunos possam adquirir ainda mais experiência na parte prática. “Buscamos vincular agricultura com a educação. Diante disso, trabalhamos juntos, casados. Poderíamos implantar na terra de um produtor, mas preferimos implantar na EFA”, acrescenta.

Merenda Escolar

Os produtos produzidos nas unidades serão utilizados para fortalecer a merenda escolar do município. O Sistema Agroflorestal, por exemplo, terá toda produção voltada, junto com as hortaliças, para merenda escolar. “O SAF será voltado para o açaí, cupuaçu, cacau, e quando forem vender esses produtos, eles estarão voltados para merenda. Avicultura também, os frangos serão direcionados para escola”, explica.

Das 7 unidades, quatro podem começar a funcionar em um período de no máximo um mês. As outras três demoram um período maior, caso da suinocultura, SAF e psicultura. “Viveiro é de imediato, implantou, levou as mudas e rapidamente está funcionando. No SAF, as mudas demora um tempo maior para crescer, a horta em 30 dias está produzindo”, conclui.

Veja mais fotos:

Texto: Osvaldo Henriques
Fotos: Divulgação

Acessibilidade