Seagri: Projeto de Compostagem recebe visita técnica de analista do Ministério do Meio Ambiente

A visita técnica do analista ambiental do Fundo Nacional de Meio Ambiente (FNMA), unidade integrante do Ministério do Meio Ambiente (MMA), faz parte de uma etapa do projeto de compostagem, que está sendo implantado nos residenciais Tiradentes e Jardim do Éden, comunidades localizadas nos núcleos de São Félix e Morada Nova. No Residencial Tiradentes, 30 famílias estão sendo beneficiadas.

Os projetos de compostagem consistem no uso dos resíduos orgânicos domésticos, como restos de comidas, de jardinagem, podas, papéis entre outros, coletados na própria comunidade, que se transformarão em húmus, após processo de reciclagem e decomposição, para uso na produção de horticultura no próprio residencial e comercialização gerando renda para os pequenos produtores.

De acordo com Marcos Paulo Eleres, Secretário Adjunto de Agricultura, o projeto de compostagem de Marabá foi selecionado pelo Ministério do Meio Ambiente para atender as duas comunidades. O objetivo, segundo ele, é envolver toda a comunidade e dar um destino útil aos resíduos orgânicos gerados nas comunidades. “Estamos na parte de receber os equipamentos e a visita técnica. Mais adiante receberemos mais equipamentos para ser empregado na comunidade. Temos o compromisso de empregar no projeto as pessoas da própria comunidade”, explicou.

Uma das famílias atendidas no projeto é a de Seu José dos Reis, morador do Residencial Tiradentes. Ele, juntamente com as demais famílias, já iniciou a produção das hortaliças e, agora, aguarda a primeira colheita. “Aqui a produção já começou com a plantação e agora é esperar um prazo de 15 dias para colher, pois um dos objetivos nossos aqui é ter renda com este projeto, pois vai ajudar muitas famílias a ter uma renda com a venda das hortaliças”, disse.

O analista ambiental Pablo Saldo, do FNMA – Fundo Nacional de Meio Ambiente, afirmou ter uma visão positiva do projeto em Marabá, inclusive, porque já começou a alcançar o objetivo da iniciativa, que é transformar lixo orgânico em adubo e gerar renda para as comunidades. “A perspectiva é bem positiva, já estamos vendo um embrião do projeto, a comunidade já envolvida com a questão da horticultura. A importância do projeto é trabalhar a compostagem, já fornecendo os adubos e a Prefeitura, num paralelo, trazer benefícios para a comunidade e gerar renda e qualidade de vida”, enfatizou.

O projeto é realizado por meio de uma parceria entre Ministério do Meio Ambiente, através do FNMA (Fundo Nacional de Meio Ambiente), Caixa Econômica Federal, e Prefeitura de Marabá. No país, doze projetos foram selecionados pelo MMA e recebem apoio financeiro do Fundo Socioambiental da Caixa.

Texto: Victor Haôr
Fotos: Sérgio Silva

Acessibilidade