Seaspac: Marcha das Mulheres pede fim do feminicídio

O Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher, com apoio da Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários, promove a Marcha das Mulheres de Marabá, no sábado (07). A marcha é um pedido de basta ao feminicídio e respeito à vida, considerando que o número de assassinatos de mulheres tem crescendo no Pará nos anos últimos anos, de acordo com pesquisa do Monitor da Violência.

Segundo a conselheira Lady Anne de Souza, o evento terá concentração às 7 horas da manhã, em frente à Prefeitura de Marabá – Paço Municipal (Folha 31), seguindo percurso pela Folha 28 (Feira), até o Ginásio Poliesportivo Renato Veloso, na Folha 16. São esperadas mais de mil mulheres da cidade e do campo, inclusive indígenas, cerca de 800 já confirmadas.

Ainda de acordo com Lady Anne, a Marcha das Mulheres, que também objetiva luta por mais políticas públicas para elas, é um espaço para todas reivindicarem seus direitos, apresentar angústias e principalmente exigir respeito.

A conselheira tem razão, já que além de poucas, as políticas públicas para elas às vezes diminuem. Hoje, apenas 27 dos 144 municípios paraenses têm serviços específicos de atendimento à mulher. Dados do IBGE mostram que esse número era maior há cinco anos, o que demonstra uma redução desse apoio oficial diante do aumento da violência contra as mulheres.

Os reflexos dessa redução podem ser vistos também na ausência de serviços como o acolhimento institucional de mulheres vítimas de violência. No Estado, diz o IBGE, não há nenhum tipo de espaço especializado. A pesquisa observa ainda que apenas 16 municípios paraenses (11%) possuem serviços de atendimento à violência sexual e só 17 (12%) têm delegacias especializadas.

Texto: João Batista 
Foto: Arquivo 

Acessibilidade