Seaspac: Mulheres reivindicam direitos na Marcha das Mulheres

Centenas de mulheres foram às ruas no sábado (7) véspera do Dia Internacional da Mulher, para dizer um basta ao Feminicídio. A ação contou com apoio da Secretaria de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac), Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Mulher e Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher (Condim).

A concentração começou às 7 horas, em frente à Prefeitura de Marabá, na Folha 31. Por meio de um trio elétrico, as mulheres puderam expressar suas indignações e reivindicar direitos.Vários movimentos sociais estiveram presentes. A caminhada se dirigiu pela VP-8, passando pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Feira da Folha 28, até o Ginásio Poliesportivo Dr. Geraldo Veloso, na Folha 16.

A Secretária de Assistência Social de Marabá, Nadjalucia Oliveira, agradeceu a presença das mulheres e ressaltou a independência feminina. “Precisamos buscar nossa independência financeira e profissional. Que nossos companheiros nos respeitem e que sejamos donas de nossas vidas”, discursou.

Cartazes e faixas de apoio ressaltavam a causa feminista. Mortes relacionadas ao machismo na região também foram relembrados, como é o caso da morte de Simone Aparecida Pereira, vitima de feminicídio aos 36 anos pelo ex-marido. A mãe, Samara Helena Lisboa, 60 anos, fez questão de participar da passeata. “Eventos como esse são importantes porque as pessoas não podem ser só mais um número e a morte delas não pode ser em vão, precisamos lutar para que esse tipo de crime deixe de ser normal”, lamenta.

Representantes da Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil Subseção Marabá também estiveram presentes,  como a advogada e professora, Wilma Lemos, que perdeu a filha Dayse Diana Sousa, aos 35 anos, vitima de feminicídio no município de Parauapebas. “Em Marabá já fazem anos que sempre participo dessas caminhadas, pois precisamos pleitear politicas públicas e defender nosso direito de viver e ter liberdade. Esse ano venho com um peso maior no coração e uma vontade maior de lutar devido a perca da minha filha ano passado”, disse emocionada.

A Coordenadora Especial de Políticas Públicas para Mulher no município Julia Rosa, falou sobre importância do protagonismo feminino nos dias atuais. “Temos realizados vários trabalhos sociais com as mulheres no município e é sempre importante ressaltar o papel da mulher na sociedade, a importância que ela tem e o protagonismo que ela vem assumindo. Hoje é um dia de celebrar, mas também de cobrar. Basta ao feminicídio”, conclui.

Ao chegarem no Ginásio foi servido um bolo especial às manifestantes e almoço.

Texto: Osvaldo Henriques 
Fotos: Paulo Sérgio dos Santos 

Veja as fotos:

 

Acessibilidade