Seaspac: Palestras marcam Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa

 A abertura da Semana de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa aconteceu nesta segunda-feira (8), com a palestra do educador físico Arthur de Carvalho Batista, sobre o tema Abandono

Pelo transcurso do dia 15 de junho, Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, o Centro Integrado da Pessoa Idosa Antônio Rodrigues (Cipiar) realiza a Semana de Conscientização sobre a importância da data, com variadas temáticas. Devido à pandemia do novo coronavírus, visitas e atividades extramuros não puderam ser concretizadas.

De acordo com a coordenadora do Cipiar, a assistente social Onete Feliz Fonseca, não apenas nessa data, mas deve-se amar e respeitar a pessoa idosa, fazendo valer o direito deles todos os dias. “Recebemos diariamente denúncias sobre idosos, a equipe técnica do abrigo antes de acolher, averigua se procedem as denúncias que o Conselho do Idoso recebeu”, explica Onete Feliz, acrescentando que, as equipes do Cipiar trabalham a importância do bem como um todo, para que não haja negligência e para que os direitos não sejam violados, respeitando e dando dignidade à pessoa idosa.

A abertura da Semana de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa aconteceu nesta segunda-feira (8), com a palestra do educador físico Arthur de Carvalho Batista, cujo tema foi “Abandono”. Durante a apresentação foi exposto um vídeo de conscientização explicando acerca do abandono dos idosos. “Porque acontece o abandono e ele pode acarretar consequências como depressão, violência física e abuso financeiro. Um vídeo sobre empatia foi também transmitido na ocasião, porque o jovem tem de se botar no lugar do idoso”, sublinha o educador físico. Ele complementa que falar sobre o abandono é primordial, porque quando este se inicia, com ele vem também outras violências, em caráter físico e psicológico, e até mesmo em caráter social, o privando do convívio com outras pessoas.

Palestra do educador físico Arthur de Carvalho

Na terça-feira (9), a assistente social Ariana Lima, explanou sobre os direitos da Pessoa Idosa, segundo o Estatuto do Idoso. “Foi exposto sobre todos os direitos, retratei por meio de um vídeo que abordou um pouco de cada direito, e fiz uma dinâmica com eles através de um quadro e papéis avulsos, como forma de exercício de fixação para eles saberem os próprios direitos”, detalha a assistente social.

Nesta quarta-feira (10), a enfermeira Nylane Valente abordou a negligência contra idosos, por meio de palestras com vídeos, slides informativos sobre conceitos, formas e punição de negligência, finalizando o momento com dinâmica. Já na quinta-feira (11), os 25 idosos abrigados no Cipiar, farão uma árvore humana contra a violência e a pedagoga Jarminia Olimpo fará também uma apresentação. Na sexta-feira é a vez da atuação da psicóloga Gisele Costa de Souza.  Ela fará uma dramatização a respeito da violência física e psicológica que terá como objetivo a fixação do significado das duas versões da Violência contra o idoso, para que os idosos saibam identificar quando visualizarem, como por exemplo, na TV.

Para exemplificar negligência e abandono, a coordenadora do Cipiar, que fechará o ciclo de palestras na segunda-feira (15), lembra que atualmente uma idosa é abrigada no Cipiar, que mesmo tendo filhos na cidade vivia sozinha e estava sozinha também no hospital. “A vizinha dela ligou para uma filha que disse que ela estava pagando pelo passado. Não podemos julgar a pessoa pelo passado. O que é importa é o presente. Quem somos nós para julgá-los?”, questionou a coordenadora.

Texto: Emilly Coelho
Fotos: Divulgação

Acessibilidade